Restaurantes em Lima: Nham!

“Comida é arte, comida é vida! Você tem fome de quê? Você tem sede de quê?”

capa comida

Bom dia gente linda, elegante e sincera! Vambora falar de um assunto super gostoso? Pois bem, hoje contarei um pouquinho sobre minha experiência com a gastronomia peruana em uma recente viagem, na verdade hoje abordarei os restaurantes que visitei em Lima e tudo o que eu achei. Vem comigo…

Eu não sei se vocês sabem, mas a gastronomia peruana é mundialmente conhecida e ultimamente o Peru sempre está presente na lista dos melhores restaurantes do mundo, o que quer dizer que se você pretende visitar o país, você PRECISA provar desta gastronomia, só não precisa provar a inca kola rs. Mas antes de começar a falar sobre tudo o que comi em Lima, vale prestar atenção em um detalhe: reservem mesa com antecedência nos restaurantes peruanos. Nós queríamos muito conhecer o restaurante “Central” do chef Virgilio Martinez, eleito pela segunda vez o melhor restaurante da América Latina, mas infelizmente não conseguimos, as reservas estavam esgotadas até o final deste ano, uau!!! Diante desta realidade, resolvemos nos aventurar por casas menos famosas, mas não menos saborosas.

Para o nosso primeiro almoço em Lima, reservamos uma mesa no Restaurante “La rosa Náutica” que fica literalmente no meio do oceano e tem uma vista muito bonita. Este restaurante foi inaugurado em setembro de 1983 e desde então mantém a preocupação com o alto nível de seu serviço e funcionários. Em 2008 ele começou o processo de expansão do nome virando franquia e hoje está presente não só no Peru como na Colômbia e na Argentina.

Eu indico fazer reserva e solicitar uma mesa que fique próxima da janela porque a vista é MUITO melhor e comer com vista é tudo, não é mesmo? Acredito que este local seja perfeito para ocasiões especiais, pois além da vista, há todo um cuidado por parte dos funcionários e garçons da casa tanto no atendimento como na comida em si. Há também um pianista tocando no local o que já deixa qualquer almoço mais especial e uma curiosidade que achei bem engraçada é que o cardápio das mulheres não tem o preço escrito, apenas no cardápio entregue aos homens rs.

Para começar os trabalhos, eu fui de Lomo saltado, um prato bem típico que consiste em um tipo de guisado de carne de vaca com pimentão e cebola, papas fritas amarillas, ovo frito e arroz branco com choclo, que é um milho branco gigante. O arroz não tem muito sabor, mas ele casa perfeitamente com a carne porque esta sim é super temperada e muito macia. A cebola desmanchava na boca e por incrível que pareça até o pimentão estava saboroso (eu não curto pimentão); as batatas amarillas tem um gosto completamente diferente das nossas batatas mas são deliciosas. O maridex foi de corvina na pedra com creme de ají (um tipo de pimenta que não pica muito) e limão, com arroz e choclo frito com creme de ají maduro que dava até para ver a fumacinha saindo: hummm! Claro que eu também tirei uma provinha do prato do marido e gente…uma delícia. Sabores totalmente diferentes do que estamos acostumados aqui no Brasil, mas muito gostosos.

De sobremesa eu fui de torta trufada de chocolate (um pedaço enorme de torta com fatias de morango, calda e sorvete de chocolate) que eu não aguentei comer tudo porque era enorme, então vale dividir esta sobremesa; o maridex foi de “café de popa” (sorvete de café feito na casa, banhado com licor de café e expresso e medialunas de creme chantilly), que segundo ele estava mais bonito que saboroso. Apesar de não ter sido a melhor comida da viagem toda, foi o melhor “Lomo Saltado” que comi no Peru. A comida estava muito saborosa, o suco de manga bem gostoso e a cerveja local, a Cusqueña agrada até os mais exigentes paladares. Toda esta orgia gastronômica saiu um pouco mais de 200 soles peruanos, o que achei bem digno diante do nível do restaurante.

Para o jantar no primeiro dia de viagem fomos no Restaurante La Huaca Pucllana que fica dentro do sítio arqueológico de mesmo nome. A Cozinha do restaurante tem como lema usar ingredientes genuinamente peruanos interpretando-os sem perder a liberdade criativa. As chefs Marilú Madueño e Andrea Massaro realmente levam este lema muito a sério! A comida é muito saborosa e os pratos são preparados com todo esmero que se espera de um restaurante premiado. Por mais incrível que possa parecer, os preços são bem amigáveis o que faz deste restaurante parada quase que obrigatória uma vez em Lima. Quanto ao ambiente é um desbunde: imagina fazer uma refeição de cara para um sítio arqueológico lindíssimo  com uma iluminação de tirar o fôlego e um serviço impecável. Imaginou? Pois é bem assim no Huaca Pucllana. Claro que o sítio arqueológico estava fechado para visitas durante o horário do jantar, mas já dava para sentir a energia do local.

De entrada pedimos “chicharrón de cuy sobre patacones de plátano y criolla a la hierba buena” que eram pedaços de porquinho da índia empanados e fritos sobre quadrados de banana com um molho super apimentado. Me senti super culpada por comer cuy = porquinho da índia, mas a verdade é que estava gostoso. De prato principal fui novamente de Lomo Saltado  com  batatas amarillas fritas e arroz con choclo que estava saboroso, já o maridex foi de “mini rocoto relleno de lomo a la arequipeña, con pastel de papa y queso gratinado’ou seja, carne com um molho apimentado, um bolo batata em formato de empada com queijo gratinado e legumes. Estava saboroso segundo o marido que também provou a bebida local: pisco sour, bebida feita com aguardente de uva, com clara de ovo, angostura, açúcar, suco de limão e etc, tipo a nossa caipirinha. Minha opinião: o pisco é bom mas MUITO forte

De sobremesa fui de “volcán de chocolate, helado de vainilla, galleta de ajonjolí y salsa de camu camu” = bolo de chocolate, sorvete de baunilha com biscoito de gergelim e molho de camu camu, que estava uma delícia, bem suave mas saboroso e lindamente decorado já o marido foi de “Barrita de chocolate, mousse de lúcuma, quinua crocante y aguaymantos frescos” = torta de chocolate com mousse de lúcuma, farofa crocante de quinoa e physalis frescos, que estavam bem equilibrados e gostosos. Saímos rolando de tanta comida mas super satisfeitos com a refeição.

No dia seguinte o almoço foi no restaurante do chef Gastón Acurió, o Tanta que fica no shopping Larcomar. Escolhemos este local só pela vista mesmo rs. fomos sem reserva! Depois de muito esperar nos deram uma mesa com vista para a janela e começamos os trabalhos; para beber fomos de suco de “Mango Huarango” ou seja, suco de manga, laranja e banana: divino!

De entrada pedimos “Las croquetas Tanta”, um tipo de croquete de frango na brasa e de ají de galinha com dois molhos diferentes. Estavam uma delícia! Como prato principal resolvi arriscar e escolhi um prato típico peruano: “Tacu tacu a lo pobre” que era uma milanesa de carne de vaca com ovo frito, banana frita, molho escabeche e esse tacu tacu que é uma massa feita com o feijão e arroz misturados e fritos como uma omelete para ficar sequinha por fora e suculenta por dentro. A expectativa era boa mas a realidade não: um prato muito gorduroso e nada interessante. Não gostei! O marido foi de “El gran combinado” que era arroz com frango, banana frita, choclo com ocopa (ingrediente que não conheço) e batatas à huancaín. Eu achei a cara do prato bem sem graça e segundo o marido não estava bom. Depois de uma experiência nada interessante resolvemos sair sem a sobremesa.

Neste mesmo dia resolvi jantar em um restaurante que não é famoso como os citados acima e fica fora da rota turística: o Saqra. Este restaurante é bem escondidinho e para minha surpresa ninguém do Hotel o conhecia, tampouco o taxista que me levou até la. Uma pena para eles porque o local é muito interessante. O ambiente é bem acolhedor, com uma decoração diferente e o serviço um charme. Nos sentamos bem em frente ao bar e começamos com o prato principal: eu fui de “Mil hojas de ají de gallina” e o marido foi de “Ossobuco de seco”

O mil folhas de ají estava simplesmente divino e sinceramente…desmanchava na boca. Ele também vinha acompanhado de batatinhas rústicas com alecrim que estavam bem saborosas e uma salada de folhas verdes. Um sabor diferente mas incrível. Segundo o marido o Ossobuco era bem macio, com um molho delicioso e encorpado acompanhado de purê de batatas yucca e molho criollo também muito bem preparados. Como a comida foi tão gostosa, decidimos pedir a sobremesa.Lima Atenção porque as sobremesas aqui no Saqra são mais caras, mas valem a pena! Nós fomos de creme brulée de banana com trufas fritas de chocolate e sorvete. Gente…estava TÃO MARAVILHOSO que repetimos a mesma sobremesa! Foi a melhor sobremesa que comi no Peru, definitivamente! As trufas de chocolate fritas não são fritas na gordura então saem sequinhas, mas quando você as fura é uma explosão de chocolate derretido por cima de um creme brulée incrível de banana com um sorvete também bem saboroso.  Nós estávamos tão maravilhados que o dono do restaurante veio conversar conosco, até porque o restaurante estava fechando quando pedimos novamente a sobremesa e diante da nossa cara de satisfação o próprio dono nos entregou a sobremesa e puxou papo! Ele é muito simpático e ficou bem feliz que gostamos do lugar e da comida e nos contou que ali no Saqra, além de comer, você pode comprar tudo o que estiver no local: os quadros luminárias, cadeiras, enfim…uma verdadeira experiência de compras e gastronômica! Saí de lá me sentindo…plena! kkk

OBSERVAÇÃO: Antes de voltarmos para o Brasil, resolvemos dar uma segunda chance e ir no Tanta do aeroporto de Lima e olha…muito melhor que o do shopping Larcomar! Claro que não tem vista, mas o atendimento é mais simpático e a comida melhor! Comemos as Croquetas Tanta de entrada e estavam muito mais gostosas, depois pedimos um ají de gallina e um lomo saltado. Os dois vieram muito bem servidos e estavam bem saborosos, completamente diferentes da gordura sem fim da outra filial. Fiquei tão encantada que resolvi pedir uma sobremesa: cheesecake de frutas vermelhas que estava até bem gostosa mas não como o creme brulée de banana do Saqra. Enfim…foi uma grata segunda chance! Me surpreendeu positivamente.

Estes foram os restaurantes que visitamos em Lima. Falarei dos outros restaurantes (Cusco, Machu Pichu e Puno) em um próximo post, então fiquem ligados. E vocês, já foram em algum restaurante em Lima? Contem aqui nos comentários como foi ou deixem dicas para uma próxima viagem. Espero que tenham gostado do post e se gostaram deixem um like/curtida aqui no blog! Não esqueçam de se inscrever para ficar por dentro das novidades. Um beijo enorme cheio de sabor peruano e até o próximo post…

Restaurantes citados:

Central: Calle Santa Isabel 376 – Miraflores
(511) 242 8515
La Rosa Náutica: Espigón 4 Circuito de Playas – Miraflores
(511) 445 0149/ (511) 447 0057/ (511) 447 5450
La Huaca Pucllana: General Borgoño cdra. 8, Huaca Pucllana – Miraflores 
(511) 445 4042/ (511) 445 2630
Saqra: Av. La Paz 646 – Miraflores
(511) 650 8884

Tanta: Malecón de la Reserva 610 – Miraflores(511) 446-9357

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s