Salitre, vale a visita!

IMG_0762.JPG

Comer é realmente um dos maiores prazeres da vida, pelo menos para mim rs! Imagina quando a comida é saborosa; melhor ainda! E tive uma grata surpresa em um lindo domingo de sol ao degustar a sugestão do chef no Restaurante Salitre, no Barra Shopping, Rio de Janeiro. Vou contar tudinho…

chegamos ao Salitre por volta das 13h da tarde e sem saber o que provar primeiro, decidimos aceitar a sugestão do chef, que além de bacana ainda tinha um preço bem honesto: R$59,90 reais por entrada, prato principal e sobremesa. Para quem não sabe, o Salitre é um restaurante com um ambiente bem elegante e com uma luxuosa adega, que já se tornou referência em todo o Brasil, pois alem de apresentar vinhos de uvas diversas e rótulos internacionais, os sommeliers da casa são fantásticos. Eu não bebo kkk mas vale ressaltar o alto padrão da casa. Além da bebida, a gastronomia também segue o alto padrão do local oferecendo sabores simples porém sofisticados.

IMG_0759

Apesar de toda esta sofisticação, o serviço da casa é correto; na minha humilde opinião poderia ser um pouco mais simpático, mas de qualquer forma, nada que tire o  brilho do Salitre. A decoração prima por elementos naturais que transmitam elegância como madeira, tijolinhos e detalhes em ferro.  A iluminação contribui para deixar a casa ainda mais aconchegante. Mas vamos ao que interessa….a comida!

Como mencionei, optamos pela sugestão do chef que neste dia era: salada de folhas verdes com profiteroles de cabra e salmão de entrada, que estavam bons mas poderiam estar mais elaborados; tilápia grelhada com risoto de limão siciliano como prato principal, que estavam bem feitos e saborosos, mas para alguém que gosta de comida muito temperada, como eu, merecia um pouco mais de tempero. Já o risoto de limão siciliano estava DELICIOSO! E de sobremesa a opção era banana caramelada com sorvete de baunilha e calda de caramelo com lâminas de amêndoas. Muito bem feito, simples e muito saboroso!

Fiquei super feliz com o almoço, pois realmente não conhecia a casa e tive uma grata surpresa. Certamente não foi a melhor comida de toda a minha vida, mas estava bem saborosa é muito bem executada. Para quem aprecia vinhos, ainda pode harmonizar as receições com o vinho apropriado. Eu harmonizei com água com gás é uma fina lâmina de limão kkkk!

E vocês? Já conheciam o Salitre? O que acham da casa? Contem aqui nos comentários, vou adorar saber! Aproveitem e inscrevam-se no blog para ficar por dentro de todas as novidades do Divahgando e se gostaram do post, deixem um like/curtida. Um beijo enorme e uma ótima semana para vocês…

Coral Reef Restaurant no Epcot: Amei!

IMG_6282

Que eu gosto de comer já não é segredo para mais ninguém, mas acontece que nem sempre em viagens eu consigo comer bem! Às vezes o dimdim é pouco, outras não consigo encontrar algo que me agrade ou a viagem é corrida e o tempo é curto até para fazer uma refeição com direito a mesa e ambiente juntos, mas hoje vou contar para vocês a minha experiência em um lugar completamente surpreendente e que aconteceu por acaso, mas que já entrou na lista de lugares memoráveis da minha viagem: o Restaurante do Nemo, o Coral Reef, no Epcot. Vem comigo que contarei tudinho…

O Coral Reef é um restaurante dentro do Epcot, especializado em peixes e frutos do mar. Ele fica ao lado da atração The Seas with Nemo and Friends (uma das mais procuradas e fofas do Epcot). Bem no cantinho direito, antes da entrada do brinquedo que você encontra a placa com o nome do Restaurante. Para quem anda sem prestar atenção é fácil perdê-lo de vista, mas para os atentos, como eu…é um lugar imperdível! Eu encontrei o restaurante meio que por acaso, porque ainda não estava com fome, mas logo que entrei no hall de entrada e vi que tratava-se de um restaurante temático, animei-me e decidimos ficar por lá mesmo. Não demorou nem 10 minutos e conseguimos uma mesa bem do lado do aquário que tem no salão: adorei!

O restaurante não é muito grande então acredito que lote facilmente e o legal dali é realmente sentar-se ao lado do aquário, porque você come e ainda observa e admira os peixes e outras criaturas marinhas; mas para quem se senta nas mesas distante do aquário não consegue observar de pertinho toda a vida marinha. Como nos sentamos bem ao lado, pude admirar toda a beleza do local usando o índice de peixes e criaturas marinhas que é oferecido pelo próprio restaurante para os clientes encontrarem dentro do aquário. Este índice fica em cima da mesa e ajuda bastante a  encontrar as espécias dali. Já no quesito comida, nós optamos pela opção de menu do dia que incluía uma entrada, prata principal e uma sobremesa por um valor fixo. Achei que valia mais a pena do que a opção à la carte. Mas na opção do menu do dia, temos apenas 3 opções de cada fase da refeição, então se dentro destas opções nenhuma se adequar ao seu gosto, melhor pedir à la carte mesmo.

No menu do dia eu fui de “salada da casa da estação” (mix de folhas verdes, frutas silvestres frescas, queijo feta e crocante de sementes de girassol com vinagrete de framboesa) que estava uma delícia e vinha lindamente decorado; já o maridex foi de “Tomates tradicionais” (vinagre Sherry, azeite de oliva da Toscana, muçarela fresca e redução de balsâmico com fatias de tomates de diferentes cores) que de acordo com o maridex estavam deliciosos e como não sou boba nem nada, provei e aprovei: estavam deliciosos mesmo para alguém como eu, que não curte tomates rs!

Já como prato principal eu fui de “Macarrão com queijo, bacon e caranguejo” (macarrão conchinha com queijo, croutons de bacon e caranguejo desfiado com aspargos e pimentão de piquillo) que vieram quentinhos com um cheirinho de matar e estavam uma delícia, mas atenção: super apimentados! O maridex foi de “Camarão e grits” (camarão salteado, canjica de milho com queijo cheddar, succotash de milho local, linguiça Andouille e emulsão com especiarias à creole). Este prato estava tão lindo que dava até pena de comê-lo, mas a fome era grande e ele foi degustado com todo o carinho do mundo rs. E deixando bem claro que além de lindo ele era uma delícia e bem apimentado já que levava especiarias à creole, mas era MUITO mais gostoso que o meu macarrão!

Como boa formiga que sou, jamais deixo de degustar a sobremesa em uma refeição! Aqui eu e o marido escolhemos a mesma opção “A onda de chocolate” (bolinho de chocolate quente com recheio de chocolate e servido com sorvete de framboesa). A sobremesa veio decorada com todo o capricho do mundo Disney e detalhe que a minha ainda veio com uma plaquinha fofa me parabenizando pois eu estava com um bottom de “Happy Birthday” preso em minha blusa e a Disney, sempre atenta aos detalhes, não deixou isto passar em branco! Fiquei toda feliz da vida!

IMG_6307

A refeição foi maravilhosa e o ambiente nem se fala, mas acredito que as crianças possam ter mais dificuldade na hora de escolher sua refeição, pois além de não ter muitas opções infantis, achei as opções bem sem graça! Então antes de entrar no restaurante, veja se algo agrada aos seus pequenos, porque não há nada mais desagradável do que chegar em um restaurante, sentar-se e na hora de escolher…nada te apetece!

O valor cobrado foi justo e posso dizer que minha experiência foi sensacional, afinal, não é todo dia que comemos com a companhia de arraias, tubarões, tartarugas marinhas e peixes mil. Eu recomendo muito pela experiência, mas se você não curte frutos do mar ou se suas crianças não gostam de comidas mais elaboradas, prefira outro local para a sua refeição, pois apesar do preço do menu do dia custar um pouco mais de U$40,00 dólares por pessoa sem as bebidas, certamente há outros restaurantes mais baratos dentro do Epcot, porém nenhum deles tem esta vista linda!

Bem gente linda…esta foi minha experiêcia No Coral Reef. E vocês? Já comeram neste restaurante? Contem aqui nos comentários como foi ou deixem um like/curtida caso tenham gostado do post. Aproveitem também para se inscrever no blog e ficar por dentro de todas as dicas e divagações desta pessoa que vos escreve. Quero muito poder contar com o feedback de vocês! Um beijo enorme e uma ótima semana cheia de novas experiências para todos! Até o próximo post…

Rio Gastronomia: você não pode perder!

IMG_9475

Bom dia gente linda!!!! Vocês que me acompanham há um tempo já sabem que adoro comer e falar de comida e hoje vou contar um pouquinho de um evento super bacana que está rolando aqui no Rio de Janeiro sobre gastronomia: Rio gastronomia 2017. Querem saber o que achei deste evento? Vem comigo…

O Rio gastronomia é o maior evento de gastronomia do Brasil e este ano está em sua 7ª edição com a participação de restaurantes consagrados, além de food trucks, feira de cachaça e de produtos do interior do estado, aulas com chefs estrelados e shows com diferentes artistas.  Este ano, assim como no ano passado, ele acontece no Pier Mauá nos Armazéns 3 e 4. Eu que não sou boba nem nada já fui e aviso logo: ainda dá tempo de vocês visitarem neste fim de semana heim!

Para quem se interessou e está em dúvida em como chegar, já adianto que a melhor alternativa é ir de transporte público. Eu fui de VLT e ele pára bem em frente à entrada do evento, na estação”Parada dos Museus”ou “Parada dos Navios” e funcionará até meia-noite. Já para quem preferir ir de carro, o estacionamento mais próximo é o que fica exatamente onde há a pintura do artista Kobra e ele custa R$30,00 reais das 6:00h até às 21:00h. Mas lembre-se que se você pretende beber…nem pense em ir de carro; além disso, você perderá inúmeras degustações de bebidas interessantes, então, pense bem antes de ir de carro.

O ingresso para o evento pode ser comprado pela internet, no site Ingresso certo ou na hora, na bilheteria do evento, mas sempre há filas. Se o seu desejo é aproveitar ao máximo o Rio gastronomia, vá cedo porque assim você poderá participar de aulas e oficinas bem bacanas que estão rolando por lá e ainda ouvir uma música boa durante a apresentação musical. E olha…A vista da Baía de Guanabara no fim de tarde é incrível!

Eu estive por lá na sexta-feira e no domingo e adorei! O evento está bem bacana com a participação de muitos stands de restaurantes estrelados dentro da área dos Armazéns e food trucks do lado de fora do Armazén com vista para a Baía de Guanabara. Além disso, há dois auditórios, um do Senac (com capacidade para 200 pessoas) e outro do Santander (com capacidade para 50 pessoas), no Armazém 3 onde são ministradas as aulas e os workshops com os especialistas de cada área; já no Armazén 4 há o Espaço Senac voltado a oficinas gratuitas onde para participar você precisa se inscrever 30 min antes de seu início.

Eu participei de uma oficina de horta em vaso no Espaço Senac com a professora Padma Kukel e aprendi muita coisa. O melhor é que além de aprender sobre o tema ainda levei meu tempero (no caso uma mudinha de coentro) para casa! Mas se o seu foco não é planta, saiba que há oficinas de vinhos, cervejas, preparação de drinks, cafés, preparo de diferentes pratos (arroz de pato, babaganush, naked cake entre outas opções) neste Espaço Senac. Atentem-se para um detalhe: nas oficinas de bebidas alcoólicas  (vinho, cerveja, tipos de drinks) sempre fica uma fila bem grande então informe-se antes para ter certeza que conseguirá entrar.

Eu assisti uma aula no Auditório Senac chamada “Rota das Especiarias” com a chef Katia Hannequim e o chef Ghabi Hajj das CASAS PEDRO e achei muito interessante! O espaço é muito bem montado, organizado e a aula dos chefs muito boa. Além de ensinarem sobre as especiarias (Sumac, Zatar, pimentas etc) eles ensinaram também a preparar alguns pratos célebres da culinária árabe e o melhor: serviam para cada convidado da aula uma porção do prato ensinado, que naquela ocasião foi falafel, homus e salada de acelga com melado de romã, pinoles e tâmaras. Gente…todos uma delícia e muito simples de serem preparados! No fim da aula, ganhamos um copo do evento, uma água da São Lourenço e um potinho de orégano de brinde das Casas Pedro. Foi muito bacana! No vídeo abaixo, os chefs ensinam a preparar Homus.

Também pude assistir em outra visita ao evento também no Auditório Senac, um bate-papo cervejeiro com a Ambev: Diversidade de sabores e qualidade do campo ao copo, oferecido pela Brhama Extra com o Mestre cervejeiro Luciano Horn. Eu, apesar de não beber cerveja, achei bem interessante. Para os amantes da cerveja deve ter sido melhor ainda já que eles serviam um pequeno copo para todos degustarem as cervejas citadas neste bate-papo. Acredito que vale muito a pena assistir estas palestras no Auditório Senac, mesmo que você não tenha comprado o ingresso. Há a possibilidade entrar na fila e aguardar uma vaga, que foi exatamente o que fiz.

IMG_9489

Mas e as comidas? Hummmm…Uma perdição! Claro que mesmo que sua gula seja do tamanho do planeta Terra, não dará para você provar um quitute de cada local, então citarei os mais gostei. No Kurt (tudo é lindo, mas a torta de brigadeiro e a torta de macarrons com furtas vermelhas é de comer de joelhos, simplesmente divinas).

No Lasai comi empanadas de carne e queijo deliciosas; bem temperadas, bem recheadas e com um incrível sabor do molho feito com produtos da horta do próprio restaurante. No Aconchego carioca tive que provar o bolinho de feijoada, já que foi aqui que ele foi inventado e o achei delicioso; também provei o sonho de aipim com bobó de camarão que achei bem gostoso, mas o bobó é um pouco líquido e dificulta comê-lo sem se lambuzar rs.

No Rancho português eu e maridex provamos o bolinho de bacalhau: bem crocante e com bastante bacalhau. Na casa do Sardo provamos favas cozidas com filet de atum fresco marinado e pedaços de pão; gente que delícia, comeria todos os dias! kkk No Gula Gula provamos o Picadinho (filet mignon picadinho com arroz e milho sautée com farofinha) que estavam bem saborosos apesar de simples, mas o preço estava valendo: R$20,00 reais. No Bar do David, que foi o atual campeão do “Comida de Buteco”aqui do Rio, eu provei o bolinho de camarão com catupiry e achei gostoso, mas como eles não retiraram aquela “tripinha” de sujeira do camarão fiquei um pouco incomodada.

Já nos food trucks só provei os pastéis de nata da Casa das Natas e olha…queria comer mil pastéis da Casa das Natas porque é simplesmente MARAVILHOSO! Quentinho, crocante e com um creme incrível que fica mais incrível ainda com a canela por cima! Recomendo provar…é divino!

Já na Feira de Sabores Sebrae (entre os dois Armazéns) há muitas barraquinhas com alguns produtos que na minha opinião valem ser degustados: “Senhora Farofa” com uma farofa que nem sei explicar de tão gostosa; o palmito pupunha da “Fazendinha José de Carvalho”; a goiabada do “Sítio de Goiaba” que é doce na medida e o patê de truta defumada da “Delícias gourmet”que só provando para entender o sabor maravilhoso deste patê!

Se você é amante das cachaças, ainda pode provar algumas e comprar ali mesmo. Eu não gosto de bebida alcoólica, então não darei minha opinião, mas de acordo com minha amiga Michelly, que é mineira e gosta da bebida, vale provar porque algumas são realmente bem equilibradas e diferentes como a “Alambique Engenho D’Ouro”, “Cachaça Werneck”, “Fazenda Soledade” entre outras.

No quesito bebida, preferi ficar no café e não me arrependi viu? No evento há um stand bem legal do Café Orfeu e o sabor é muito bom! Eu provei o clássico moído e o maridex foi de expresso. Ambos estavam muito equilibrados e o expresso com um sabor encorpado e forte mas saboroso. Quem gostar pode pegar um cupom de desconto para adquirir o produto pela internet. O Café Orfeu é produzido no Sul de Minas e já ganhou vários prêmios como  o “Late Harvest”, o “Coffee of the Year” e o “Cup of Excellence”. Se eu fosse você provava heim!

 

Para fechar toda esta “orgia gastronômica”, cada dia o evento é encerrado com a apresentação de alguma atração musical. No primeiro dia de evento quem fez as honras foi o cantor Paulo Ricardo com o show On the Rock, que por sinal, estava muito animado. Já no domingo passado, foi a vez de Moacyr Luz e o Samba do Trabalhador fecharem com chave de ouro este evento (que já é um sucesso e que melhora a cada edição) com samba de primeira animando todo o público e deixando um gostinho de quero mais. Nada melhor do que um bom samba, com uma boa comida em um ambiente pra lá de charmoso. É o Rio de Janeiro sendo maravilhoso em sua essência, mesmo no meio desta crise. Te amo Rio!!!

Se você ficou animado(a) com o Rio Gastronomia, minha dica é a seguinte: chegar cedo faz diferença, pois o evento ainda não estará cheio e pegar o mapa com todos os restaurantes e food trucks do local, assim você já terá uma ideia do que escolher. Ir de transporte público caso deseje degustar bebidas alcoólicas; ficar até o final do evento para assistir a apresentação musical que sempre é legal e…evitar os fins de semana! Fui no Domingo à tarde e além de lotado, muitos quitutes já tinham acabado, então se quiser ir no fim de semana esteja preparado(a) para filas e lotação. Falando a verdade, mesmo assim é muito legal!

IMG_9483

 

Mas quem não quer sair da sua zona de conforto, de 10 a 13 de agosto o Rio Gastronomia chegará ao Vogue Square, na Barra da Tijuca. O shopping receberá aulas e bate papos sobre gastronomia além da feira de produtores e atividades para as crianças; mas acho que o evento no Pier Mauá está tão charmoso que se eu fosse você, não perderia tempo e iria hoje mesmo!

Bem meu povo lindo, espero que tenham gostado deste post que fiz com muito carinho. Se gostaram do post, ajudem o blog e dêem um like/curtida; aproveitem para se inscrever no blog e ficar por tempo de todas as minhas divagações em tempo real. Obrigada por me acompanharem! Um beijo grande com sabor gastronômico e até o próximo post!

rio gastronomia

Rio Gastronomia – 04 a 13/08

Armazéns 3 e 4 – Píer Mauá

Av. Rodrigues Alves, 10 – Gamboa, Rio de Janeiro

Horário: Qui e sex, das 16h às 23h. Sáb, do meio-dia às 23h. Dom, do meio-dia às 22h

Valores: Os ingressos para quinta e sexta (dias 10 e 11 de agosto) custam R$ 25. Já para sábado e domingo (dias 12 e 13 de agosto) custam R$ 35. Há ainda a opção do combo, que é válido só para o fim de semana: quatro ingressos, para o mesmo dia, por R$ 120. Crianças de até 10 anos não pagam, e estudantes e idosos pagam meia. Clientes Santander e Claro Clube têm 20% na compra de dois ingressos.

Restaurante 3 Vassouras em Hogsmead

univ2

Oi gente linda, continuando os posts dos lugares em que visitei em minha viagem à Orlando, vim contar um pouquinho para vocês da minha experiência no restaurante “Three Broomsticks” ou em português: 3 Vassouras, dentro da área de Hogsmead na Universal (Island of Adventure). Vem comigo…

Bem gente linda…na verdade, eu comi neste restaurante no dia em que visitei o Beco Diagonal na Universal Studios. Mas como não  queríamos comer no Restaurante que tinha lá “Leaky Cauldron”, nós decidimos pegar o trem “Hogwards Express”, cruzar o parque e entrar na área de Hogsmead no Island of Adventure somente para provar a comida do restaurante “3 Vassouras”. E foi assim que começou nossa experiência gastronômica. Mas o que falar deste restaurante?

De acordo com a história contada nos livros, o “3 Vassouras” é na verdade o bar que fica em Hogsmeade, perto de Hogwarts onde os seus alunos do terceiro ano visitavam-no nos fins de semana para degustarem a famosa cerveja amanteigada. Mas no Island of Adventure ele é muito mais que um bar, é um restaurante mesmo e com as refeições super ambientadas no universo de Harry Potter, que você inclusive pode ver através da vitrine que tem dentro do local na área da fila (esse detalhe pode parecer bobo, mas fez mudar minha escolha de prato o que foi bem legal, no final). Além desses detalhes, acho importante citar que na parte de trás do restaurante fica o Hog’s Head que seria o bar.

O mais impactante deste lugar, na minha humilde opinião é a ambientação. Tudo, exatamente tudo corresponde à descrição do 3 Vassouras nos livros de J.K.Rowling. Então se você é fã de Harry Potter é quase que mandatório comer aqui rs! O local se parece com uma taverna bem rústica e a madeira obviamente está presente por todos os lados. Apesar de ter algumas escadas com itens decorativos em outros andares, eu não vi mesas nestes outros pavimentos. Você até pode subir para tirar fotos, mas sua refeição é feita no piso principal mesmo. A ideia aqui é te transportar para dentro do filme e na hora de escolher sua comida você paga em um balcão e a pega em outro; além disso, os talheres, canudos, temperos, molhos e guardanapos você pega em outra ilha e a partir daí é encaminhado para a sua mesa.

Entre as opções do cardápio “Great Feast Platter”, você encontra o clássico inglês fish and chips (peixe com batatas) que vem com um molho; a Shepherd’s pie (um tipo de bolo de batata com carne moída de origem inglesa) acompanhada de salada com molho à sua escolha; o já conhecido mac and cheese (macarrão com queijo) no menu infantil; chicken and ribs platter ( frango e costela acompanhado de batatas assadas, milho e manteiga); smoked turkey leg (coxa de peru defumada acompanhada de batatas fritas); algumas sopas e saladas além de algumas opções de sobremesas. De bebida, você tem as opções comuns: refrigerantes, água, sucos (até suco de abóbora) e se preferir também pode provar a Butterbeer (cerveja amanteigada).

Eu achei as refeições até bem servidas e o preço é acessível (eu disse acessível, não barato, mas nenhum passa de U$17,00 dólares, exceto o prato para 4 pessoas que custa U$49,99 dólares) em se tratando de restaurantes dentro dos parques. Mas sinceramente…não espere comer a melhor comida da sua vida, acredito que vale muito pela experiência vivenciada e em segundo plano, pelo sabor da comida. Que não é ruim, é até saborosa; confesso que pensei que seria uma verdadeira porcaria mas a comida me surpreendeu positivamente, mas ainda acho que é…normal. Estou falando isso porque já li em vários lugares pessoas recomendando como se fosse a comida mais maravilhosa da vida! Gente…eu acho que é incrível o local, não a comida; mas vale a pena porque a comida não é ruim, o preço é acessível e tudo isso unido à ambientação do local faz a experiência ficar inesquecível. Então eu recomendo comer aqui sim!

Um detalhe bem importante é que o restaurante enche com facilidade, então chegue cedo senão terá que enfrentar filas quilométricas para comer aqui. Outro ponto importante é que ele abre o dia todo, então você pode tomar café da manhã, almoçar, jantar ou comer algo trivial por aqui. Eu achei que as porções e opções do almoço e do jantar são mais interessantes do que no resto do dia, mas isso é a minha opinião, você pode achar incrível o cardápio de café da manhã.

Bem gente linda, essa minha visita a este restaurante tão legal e espero que tenham gostado do post. Se gostaram, deixem um like/curtida e  um comentário sobre o post, este restaurante ou qualquer dica, sugestão que puderem, também não esqueçam de inscreverem-se no blog para ler tudo o que se passa por aqui. Um beijo enorme e até a próxima…

Bar do Cícero e Ilha da Gigóia

IMG_9095

Oi gente linda…Olha eu aqui outra vez para falar sobre uma das coisas mais gostosas da vida: comida kkk! Na verdade, hoje vou contar um pouco da minha experiência no Bar do Cícero, um simpático restaurante bem informal na Ilha Primeira, uma ilha em frente à Ilha da Gigóia, na Barra da Tijuca. Me segue…

O passeio começou cedo, antes das 11h30 min (melhor horário para chegar lá) de um lindo domingo de sol aqui no RJ. Como se trata de uma ilha, você chega até ela de barco e vale lembrar que não tem carro por lá, então o transporte é mesmo o barco para ir de uma ilha à outra. Então a dica é fazer o seguinte: vá até a Barra da Tijuca de carro e estacione seu veículo no estacionamento do Shopping Barra Point. Bem ao lado deste shopping, há um posto de combustível (Shell) e ao lado deste posto tem um corredor por onde as pessoas pegam os barcos para chegar até os locais nas ilhas. Pronto…feito isso é só falar para o barqueiro para onde você quer ir, que no nosso caso foi o Bar do Cícero, que ele te leva até lá.

O barco é bem simples e a travessia até lá custa R$5,00, mas você nem sente porque a paisagem é linda, apesar da lagoa estar poluída; e o passeio dura menos de 10 minutos. Uma pena, eu estava gostando muito rs! Caso você queira fazer um passeio de barco pelas ilhas do local é só combinar um valor com o barqueiro, mas nós decidimos apenas pelo restaurante mesmo.

O Bar do Cícero, é na verdade um restaurante beeeeem informal construído numa palafita nas margens da lagoa. A vista a sua volta é bem bacana e comer de frente para uma lagoa observando o vai e vem dos barcos para mim é muito agradável. Fica especialmente bonito em dias de sol, que foi justamente o que fizemos!  Mas voltando à atmosfera do Bar do Cícero, não espere luxo e ostentação, a “vibe” aqui é relaxar e curtir a vida e posso dizer que isso você vai gostar. Mas e quanto ao restaurante, o que falar dele?

Bem…Sendo bem sincera, o melhor de lá é a “vibe” porque apesar de ser um local bem informal, os preços são bem salgados e o serviço não é proporcional ao preço nem tampouco a comida o é!Eu sou uma pessoa bem exigente com relação à apresentação, decoração, sabor e todo o resto e apesar de ir com a cara do lugar (sabia que era um ambiente simples/rústico) achei sinceramente meio desleixado. Pra começar, o cardápio além de ser muito extenso (eram várias folhas impressas em um álbum), estava todo manchado e isso já não agradou, afinal…não é fácil entender os preços de alguns itens em um papel manchado. Mas tentei deixar para lá, afinal…estava ali para relaxar e curtir o ambiente.

O serviço é meio apático, ninguém sorri para você, ninguém faz você se sentir especial (pode ser frescura minha, mas eu gosto disso) e por aí vai. Então sem rodear, pedimos de entrada uma porção de pastéis de camarão (R$33,90 com 6 unidades) que depois de uns 20 minutos chegaram quentinhos e estavam bem gostosos. Como prato principal fomos de bobó de camarão com arroz branco e farofa de dendê; o gosto estava ok; não era ruim, mas certamente já comi bobós muito melhores em outros lugares e o que me incomodou mesmo foi preço:  R$139,90 para 2 pessoas, mas este devia ser um dos pratos mais baratos. As moquecas para 2 pessoas estavam caríssimas e para 4 pessoas era mais de R$400,00. Na minha terra esse preço é muito caro para este tipo de restaurante que é completamente simples e nem tem A melhor comida para cobrar isso. Mas enfim…relevei pois como disse estava ali para relaxar.

Relaxar para uma pessoa tensa e exigente é quase uma quimera! Então resolvi esquecer estes detalhes saboreando um brownie com sorvete de creme e calda (R$28,00). E foi aí que percebi o quão exigente sou: fiquei muito incomodada com os talheres que o garçom nos trouxe. As colheres estavam muito tortas e cada uma era de um tipo: uma de cabo de plástico branco e a outra de cabo de madeira. Para você querido leitor, isso pode ser completamente irrelevante, mas para mim, talheres para uma mesa devem ser do mesmo tipo ainda mais depois de pagar caro pela refeição! Claro que pedi para trocar, mas ele me deu talheres diferentes só que menos tortos kkk. Então desisti de me importar com o talher e resolvi esperar o Brownie, que veio cheio de calda em um prato raso! Reflitam comigo: Por quê servir uma sobremesa cheia de calda em um prato raso? Não faz sentido. Mas tudo bem, lembrei que eu devia relaxar, acontece que além do prato ser raso o brownie veio todo largado no prato rs! É definitivamente, o serviço aqui não é primoroso!

IMG_9127

Mas se o preço é alto, o serviço não é muito bom e a comida é ok, será que ainda há motivos para sair da minha casa e visitar o Bar do Cícero? Sim…vá pela companhia, pela atmosfera, pelo passeio de barco que é bem agradável e pelo pastel que este sim…valeu super a pena! kkk

Aproveite que você já está por ali e atravesse de barco até a Ilha da Gigóia para ver como é a vida por lá. Afinal de contas, trata-se de uma ilha no meio da Barra da Tijuca/Itanhangá onde moram pouco mais de 3 mil pessoas, não entra carro, apenas bicicletas e onde tudo é muito “maluco beleza”. Sabe aquele local onde você acha que entrou em outra dimensão? Pois é o caso da Ilha da Gigóia. Um lugar super pitoresco, com paisagens lindas, pessoas simpáticas e simples, que decidiram por conta própria levar um outro estilo de vida. É muito legal! Então, mesmo que o bobó não tenha sido o melhor da minha vida, os talheres estivessem incorretos e o preço superfaturado para o serviço apresentado…Vá, mas vá com a mente aberta e sem esperar muito do bar do Cícero. Vá pelo pastel e pelo passeio à ilha da Gigóia.

E vocês, já visitaram algum restaurante bem pitoresco aqui no Rio? Conta aqui nos comentários, quero ficar por dentro destes lugares quase secretos. Não esqueçam de se inscrever no blog para ler os posts em primeira mão e ficar por dentro de tudo o que acontece por aqui! Um beijo cheio de positividade para todos e até a próxima…

Inauguração do Abbraccio Restaurante

IMG_9172

Hoje vou contar para vocês como foi a inauguração ao público em geral do Restaurante Abbraccio Cucina Italiana que inaugurou dia 25 de julho, terça-feira, no shopping Rio Design Barra, aqui no Rio de Janeiro. Vocês conhecem a história do Abbraccio? Me sigam que contarei tudinho…

Bem gente linda do meu Brasil, o Restaurante Abbraccio Cucina Italiana na verdade pertence ao grupo Bloomin’ Brands (Outback também faz parte deste grupo) que tem sede em Tampa, Flórida e é um dos maiores grupos de restaurantes “casuais” do mundo com mais de 1.400 unidades em 20 países, uau!  Inspirado na rede americana Carraba’s (também do Grupo Bloomin’ Brands) o Abbraccio decidiu iniciar sua expansão internacional e o Brasil foi o primeiro país escolhido para receber o conceito fora dos Estados Unidos. Mas essa expansão começou em São Paulo em 2015 e tem como objetivo totalizar 50 unidades em cinco anos aqui no Brasil.

O nome “Abbraccio”  (abraço em italiano) é resultado de dez meses de pesquisas realizadas em território brasileiro onde foram investidos cerca de  R$1 milhão em estudos de design, menu, ambiente e nome da marca. Tudo para agradar em cheio o público brasileiro e internacional. A rede veio com a ideia de transformar o comum em extraordinário e tem como característica a cozinha aberta permitindo aos seus clientes acompanharem toda a preparação dos pratos (o que eu particularmente adoro e é bem comum na Itália), unindo a intensidade do aroma e dos sabores da culinária italiana com uma experiência gastronômica completamente diferenciada.

A unidade do Rio Design Barra mantém o mesmo padrão decorativo das outras unidades de São Paulo: uma atmosfera típica italiana, com luz aconchegante e um bar bem bonito. Outro ponto bem bacana é que logo na entrada tem uma charmosa vespa estacionada, o que deixa tudo mais italiano. Mas apesar de ser italiano, não tem aquela cara super-utltra-mega clichê dos restaurantes italianos com toalhas de mesa xadrez e verde, vermelho e branco em tudo quanto é canto; as cores da Azzura estão presentes mas de forma bem elegante e pontual.

Uma coisa que eu achei bem bacana é que todos os clientes são recebidos pelos “amici”,  como os atendentes são chamados,  e após serem acomodados em sua respectiva mesa, eles servem como cortesia de boas-vindas um pão italiano para saborear com um mix de ervas e azeite. Parece ser uma bobagem, mas realmente demonstra o cuidado que eles tem com seus clientes e com o bom serviço prestado. Além disso, o pão tem uma casquinha bem crocante e o interior bem macio e vem quentinho: hummm! E o que falar do azeite com o mix de ervas? Confesso que não estava esperando muito, mas tive uma grata surpresa: uma delícia! Amei!

O restaurante traz receitas consagradas na culinária italiana, que unem tradição e modernidade através de releituras de clássicos com um toque contemporâneo, mas sem ser modernozo demais. É o tipo de releitura que agrada a todos os paladares porque tem gosto de comida “veramente” italiana. Como chegamos próximo do horário de almoço e justamente no horário da inauguração, ganhamos de cortesia uma prova do arancine (bolinho de risoto frito recheado com linguiça italiana e acompanhado de um delicioso molho) e uma mozzarella marinara; estava uma delícia! E isso nos ajudou a decidir nosso prato; eu fui de insalata caesar (alface romana, croutons de ciabatta com ervas finas, queijo parmesão, ao molho caesar) e lasagna bianca (lasagna recheada com creme de espinafre, brócolis e delicioso mix de queijos especiais: fontina, grana padano, ricota cremosa e mozzarella) que neste horário (menu de almoço) custava R$49,00 reais; já o maridex foi de insalata di casa (alface romana, cenoura, tomate cereja, azeitonas kalamatas e molho da casa) com Gnocchi al ragú de Maiale (Nhoque com paleta suína preparada lentamente ao forno, servido no molho do próprio cozimento, coberto com queijo parmesão e salsa) que custou R$53,00 no menu de almoço com a salada.

Gente…neste momento queria descrever com todas as palavras deste mundo a suculência desta lasagna e como ela é maravilhosamente deliciosa, mas falar não tem o mesmo efeito que o sabor da mesma, então se puderem…provem-na! Vem bastante queijo e o molho é muito saboroso. Eu que adoro brócolis e morro de amores pela ricota cremosa…me senti no paraíso! Mas se você não curte brócolis, prove outra refeição, como por exemplo, o Gnocchi do maridex, que apesar de levar carne suína e eu não curtir carne de porco, achei bem saboroso e muito bem servido de carne, por sinal! Os dois pratos finamente preparados e temperados e com um sabor único! Preciso dizer que amei e já quero voltar mil vezes? kkk

Mas como se não bastasse a refeição ter sido maravilhosa, decidimos pedir a sobremesa (apesar  de estarmos quase explodindo rs) porque somos duas formigas e sinceramente, a foto do cardápio de sobremesas me fez querer fortemente a Crostata di banana e crema di nocciole (massa folhada assada e recheada com uma deliciosa combinação de bananas e creme de avelãs, servida com sorvete de creme e calda de chocolate). Gente…Esta sobremesa além de linda é muito gostosa! O visual já te conquista mas o sabor é ainda melhor! A massa folhada fresca com a banana (que estava meio verde, mas casou perfeitamente aqui), e o creme de avelãs merecem todo o meu respeito e admiração e como se não pudesse ficar melhor, ainda tinha uma bola de sorvete. Maravilhosa! E para me deixar mais fã ainda da casa, o gerente ainda nos ofereceu a Crostata de cortesia: obrigada! Sinceramente…foi O almoço! Recomendo de olhos fechados: uma delícia!

Abbraccio9

Não é um restaurante baratinho, mas pelo serviço atencioso, pela atmosfera aconchegante e pelo sabor inigualável da comida, na minha humilde opinião, valeu cada centavo pago com toda a felicidade deste mundo! Mas se estiverem na dúvida, é só entrar aqui e pesquisar os valores do cardápio.

E vocês meus caros leitores,já conheciam este restaurante? Contem aqui nos comentários e aproveitem para dar um like/curtida caso tenham gostado deste post. Ahhhhh…não se esqueçam de se inscrever no blog para ficar por dentro de todas as minhas divahgações “gastronômicas”. Um baccio para todos vocês e um grande Abbraccio…Até a próxima!

 

 

 

Olive Garden: Nhammm!

IMG_7176

Acho que já comentei aqui no blog que sou de família Italiana e toda família Italiana ADORA comer! Eu não sou diferente, amo comer, mas quando estamos viajando e pagando tudo em dólar (lembrando que o dólar está beeeem alto) fica mais complicado comer e não gastar muito para isso. Não que você deva comer todos os dias em cadeias de fast-food, mas é que é muito melhor quando comemos comida boa e por um preço justo. Massssss…Seus problemas acabaram kkk! Vou contar para vocês de um lugar que tem um ótimo custo/benefício e ainda é gostoso em termos de comida em Orlando. Me sigam que vou explicar…

Acredito que muitas pessoas já devem conhecer o restaurante Olive Garden, mas quem ainda não conhece, sem problemas. O Olive Garden é um restaurante que faz parte de uma cadeia de restaurantes de comida ítalo-americana fundado em 1982 em Orlando. O sucesso do Olive Garden foi tão grande que em pouco tempo ele se tornou um dos restaurantes mais queridos dos EUA. A grande mudança do Olive Garden aconteceu em 2014 quando eles mudaram a logo e transformaram o cardápio montando porções um pouco menores (detalhe que as porções AINDA são enormes rs), mas a qualidade e o uso dos ingredientes frescos permaneceram iguais.

Em Orlando existem inúmeras unidades do Olive Garden, mas eu preferi ir na mais próxima do meu hotel (Rosen Inn da International Dr.) e fiquei realmente encantada porque só por fora a unidade já era uma gracinha, com um amplo estacionamento e um cuidadoso paisagismo. Ao entrarmos no restaurante, somos prontamente recebidos pela hostess (aquela atendente que fica na porta para te receber) que já vai nos encaminhando para nossa mesa de acordo com nossa preferência (eu sempre peço mesa próxima da janela porque gosto de observar a vista). O salão é sempre grande, com carpete e muitas mesas em madeira com lustres que remetem a cantinas italianas, mas não espere encontrar toalhas de mesa quadriculadas e a bandeira da Itália, porque isso realmente não vai acontecer. Mas de qualquer forma, a atmosfera do lugar é bem elegante e aconchegante.

A comida é um capítulo à parte: uma delícia! Sempre que você é acomodado em sua mesa, eles já trazem de cortesia uns pãezinhos que são SENSACIONAIS de gostosos e sempre vêm quentinhos. Eu vou confessar que apesar de adorar a comida, o pão é meu item preferido kkk! Assim que você faz seu pedido (que pode ser feito diretamente ao garçon/garçonete ou usando uma maquininha touch screen que tem sob cada mesa), eles já trazem à sua mesa uma vasilha imensa de salada. A princípio você pensa: não vou provar porque salada é salada;mas olha…dê uma chance a esta salada! A salada do Olive Garden é divina e o molho é muito saboroso. Vale muito prová-la, e o melhor de tudo: totalmente gratuita! É ou não é uma ótima ideia?

As porções das refeições são muito bem servidas, então se você não estiver com muita fome ou já estiver cheia de tanto comer pão e salada, peça para dividir o prato com outra pessoa do seu grupo. Como eu gosto de comer e acabava almoçando muito tarde, nunca dividi nenhum prato, mas para quem não come tanto assim dá para dividir numa boa! Eu sempre peço meu prato preferido lá: o shrimp scampi (U$16,49), trata-se um macarrão cabelo de anjo com aspargos, tomates e camarões com um molho a base de alho – Nhammm! O maridex geralmente vai de Shrimp alfredo (U$17,49) que é um fettuccini com camarões salteados e molho alfredo. Os dois uma verdadeira delícia e super bem servidos! Para quem está de dieta, a boa notícia é que o cardápio vem com as calorias de todos os pratos e há opções de refeições mais light e super gostosas; eu já provei a Tilápia Piccata (U$16,29) que é uma tilápia grelhada em molho de limão e manteiga, com tomates e alcaparras em cima e rodelas de abobrinha assadas em crosta de parmesão…uma delícia também, mas acho que este prato não dá para dividir porque senão alguém vai ficar com fome rs.

Quanto às bebidas, eles sempre oferecem provas de vinho gratuitas, mas como estávamos de carro…nada de bebidas alcoólicas! Sempre pedimos água com gás San Pellegrino de 1 litro com gelo e limão. Se você estiver na pindaíba, saiba que todos os restaurantes dos EUA servem água filtrada de graça (mas sem gás); é só você pedir uma “tap water” que você não pagará nada por isso!

Como boa formiga que sou, dificilmente faço uma refeição sem sobremesa, até porque eu acho a sobremesa a parte mais gostosa da comida rs! E no Olive Garden isso não poderia ser diferente. As sobremesas são muito saborosas e bem em conta e além disso…as porções são bem generosas. A minha sobremesa favorita no OG é a Black tie mousse cake (U$7,79) que é uma sobremesa de 3 camadas: uma camada de bolo de chocolate ao leite, cheesecake de chocolate amargo e uma camada de  mousse de chocolate branco. Gente..é de comer rezando! Mas se você não ficou satisfeita com este bolo, há diversas outras opções de sobremesa no cardápio. Eu queria usar a tal da maquininha e decidi fazer o pedido da sobremesa usando-a e não é que funciona? Rapidinho nossa sobremesa chegou à nossa mesa linda e suculenta e a utilização da máquina é bem fácil (só que ele é toda em inglês).

Para fechar toda esta orgia alimentar, sempre pedimos café, mas atentem-se para um detalhe bem importante:o café americano é água pura! Até eu que gosto de café fraco não gosto do café americano; mas a boa notícia é que por ser um restaurante ítalo-americano, você pode pedir o café aqui que ele será mais concentrado. Para quem gosta de café esse detalhe faz MUITA diferença!

Para quem não sabe, toda vez que você termina sua refeição e sua sobremesa, os garçons/garçonetes já trazem a conta e a colocam sob sua mesa. Isso não quer dizer que você está sendo retirada do local. Isso é comum lá, então não estranhe se algo do tipo acontecer. Mas para pagar é só você pedir a máquina de cartão ao garçon, pagar com dinheiro ou pagar usando a maquininha com seu cartão de crédito. Lembre-se que é de bom tom deixar a gorjeta e as gorjetas lá são de 15%, 18% ou 20%. Para mesas com mais de 10 pessoas é comum deixar uma gorjeta de 20%. E no Olive Garden toda vez que eles trazem sua conta, eles deixam mini-chocolates de menta em sinal de gentileza. Acho uma graça e só me faz gostar mais ainda do serviço do OG que é sempre muito simpático e eficiente.

IMG_7182

Bem gente, essa foi nossa experiência no Olive Garden. E vocês, já conheciam o restaurante? Contem aqui nos comentários como foi sua experiência no Olive Garden ou qual o seu prato preferido. Quero muito saber! Aproveitem e inscrevam-se no blog para lerem os post fresquinhos. Espero que tenham gostado deste post. Um beijo imenso e uma ótima semana para todos…

Olive Garden – International Dr.