Comendo MUITO bem em Cusco

Olha quem está de volta para contar sobre a gastronomia peruana, ou melhor: cusqueña! Pois é exatamente isso que vim fazer aqui hoje, contar um pouquinho sobre os lugares mais bacanas onde comemos em nossa visita à Cusco. É claro que esse post reflete a minha humilde opinião, mas achei que estes lugares mereciam ser mencionados aqui. Quanto à vocês, fiquem à vontade em experimentar o restaurante que melhor se adapte à sua preferência; só posso garantir uma coisa: come-se MUITO BEM em Cusco! Venha conferir…

O primeiro restaurante que visitamos assim que chagamos em Cusco, foi o já conhecido e muito comentado “Cicciolina“, que fica na Calle Triunfo, uma ruazinha bem estreita e pitoresca de Cusco e relativamente próxima à Plaza de Armas. O Cicciolina pode ser difícil de ser encontrado, já que fica no 2º andar de uma construção amuralhada com um pátio externo onde tem outras lojas e restaurantes, mas achando um muro branco e azul, é só entrar! Nós chegamos no Cicciolina sem reservas e na hora do almoço e até que foi fácil conseguir uma mesa. O restaurante tem um ambiente bacana, com paredes vermelhas, teto alto com troncos de madeira aparente e uma iluminação levemente quente (luz amarela). Há também um bar de tapas que fica logo na entrada e é bem interessante com uma decoração rústica-chic. Nós preferimos uma mesa no salão, que não era muito boa, ficava um pouco escondida; então se a ocasião for especial, peça uma mesa próxima à janela, porque a vista é melhor e a luz também.

Quanto ao serviço, achei razoável; podia ser mais simpático e rápido. Já a comida, me pareceu cara em comparação aos outros restaurantes de Lima (eu já escrevi um post sobre os restaurantes em Lima). Quando digo cara, entendam que a média de pratos era de $50,00 soles peruanos, o que sai um pouco mais caro que em real. Mas e a comida? Bem…é gostosa, mas sinceramente, não achei nada extraordinário, apenas gostosa. Pensei que fosse melhor já que o Cicciolina é muito recomendado em todos os blogs de viagem. Além disso, o que pesou mesmo foi a porção pequena, ou seja, é caro para a quantidade de comida. Eu pedi um filé mignon com papas e molho e estava saboroso, já o maridex também foi de carne, mas fiquei com pena dele porque a quantidade do prato para quem está com fome não é suficiente kkk. Como estávamos com fome depois do prato principal e dos cubiertos (tipo um couvert com pães variados, manteiga e azeite), decidimos pedir a sobremesa e estava saborosa também, mas nada que se compare ao creme brulée de bananas do restaurante Saqra, em Lima! Para mim, foi um almoço nota 7,5! Desculpem-me mas sou exigente! kkk

Se você estiver com o dimdim contadinho, não tem problema! Come-se bem em Cusco e até mais barato que no Brasil! Se estiver com fome mas totalmente sem grana, renda-se ao podrão cusqueño kkk! Ou seja, churrasquinho de rua super saboroso e com direito a batatinhas no espeto junto com a carne. Além de cheiroso, gostoso e farto (o espetinho é muito grande), custa apenas $5,00 soles peruanos. Eu provei porque o cheiro estava tão bom, que não resisti! Gostei muito, viu! Recomendo experimentar: fica em uma ruela (Calle Loreto esquina com a Calle Maruri) beeeeeem estreita na lateral da Igreja da Compañía de Jesús.

Ou, se você estiver na pindaíba mas ainda tiver condições de comer em um restaurante, vá onde os locais comem: restaurante Yola, na Avenida Pardo, paralela à Avenida Sol. Atenção: não é um restaurante turístico, então não espere luxo. A comida é bem saborosa, a porção é farta e para ser sincera, eu pedi 1/2 porção e fiquei bem satisfeita, pois dá para comer já que a 1/2 porção alimenta bem uma pessoa. Uma curiosidade interessante é que durante o meu almoço neste local, entrou um homem com um violão e começou a cantar a música do Roberto Carlos (que não sei o nome rsrsrs) “esse cara sou eu…”. Achei muito bizarro estar em Cusco e ainda ouvir Roberto Carlos em um restaurante local! Voltando ao restaurante, o preço é bem camarada: cerca de $15,00 soles por uma refeição. Eu fui de Lomo saltado e estava macio. Só não pedi sobremesa porque não achei nada que me agradasse ali. A comida é boa, mas vá sabendo que é um restaurante simples!

Caso queira provar um bom ceviche, eu super recomendo o Barrio Ceviche que fica bem na Plaza de Armas e tem uma vista bem bacana. O ambiente é muito agradável, o serviço muito simpático e solícito e faço um elogio ao cozinheiro Perez com quem conversamos no bar e nos explicou muito bem as diferenças das batatas e de algumas leguminosas de seu país. Uma simpatia só!

O pisco sour de lá é muito bom também e o bar é todo decorado com motivos marinhos, assim como o banheiro (que é uma fofura e cheio de conchas). O preço já é mais salgadinho, mas vale a pena! De “cubiertos” (couvert) eles servem chips de papas amarillas e milho assado; é diferente mas bem interessante. Quanto aos nossos pedidos, nós fomos de “causa de langostinos” de entrada e dividimos um ceviche clássico (que vem bem servido e dá para dividir se você não estiver com muita fome). Os dois estavam divinos! A entrada era bem diferente, mas muito saborosa e o ceviche muito refrescante e ao mesmo tempo picante na medida. Se estivesse com fome, comeria até mais, mas eu já tinha comido um espetinho muito saboroso…lembram? kkk

Se a fome for de fast food, por que não uma versão peruana? Pois saiba que tem sim e se chama Papacho’s! Esta é a “versão peruana” do Outback, já bem conhecido aqui no Brasil. O Papacho’s é bem famoso no Peru já que seu dono é ninguém menos que Gaston Acurió, um dos chefs peruanos mais conhecido mundialmente e talvez o que tenha apresentado a culinária peruana para o resto do globo com suas releituras cheias de vida e usando ingredientes locais. Mas voltando ao Papacho’s, aqui a ideia é comer hamburguer e não é qualquer hamburguer, é aquele hamburguer gourmet deliciosamente preparado e acompanhado de fritas servida com uma farta porção.

Claro que você também tem opções de pratos de comida, mas vá por mim…experimente os hamburguers! Nós fomos à noite e a casa fica no entorno da Plaza de Armas e tem uma vista bem bacana da janela. O público é mais de jovens já que tem happy hour, drinks diferentes e um ambiente meio pub. O serviço é bacana e a comida também, já os preços…mais salgadinho! Nós pedimos de entrada a “Tapitas papacheras” que me parecia uma bruscheta (eu amo bruschetas) com molho bem apimentado, sour cream, bacon, queijo e outras coisas que não consegui identificar mas que eram deliciosas! Já começamos bem e depois fomos de hamburguer. Eu pedi o “Miraflorina” que veio com queijo,bacon, tomate, alface, cebola crocante, picles e molho barbecue: delicioso! O maridex foi de “Papacha” com bacon, anéis de cebola, queijo roquefort, tomate e alface e segundo ele também muito saboroso! Todos eles vieram com fritas de acompanhamento e depois de toda esta comida nem sobrou espaço para a sobremesa! Mas eu voltaria todos os dias no Papacho’s feliz da vida! Na verdade eu gostei mais da entrada do que do hamburguer, uma vez que adoro bruschetas! Vale experimentar também os milk shakes de lá, pois são deliciosos. O que não pode é ficar de fora do Papacho’s! Vá e depois me diga o que achou!

Mas se a sua vibe for algo menos peruano e mais italiano, saiba que tudo pode acabar em pizza em Cusco! Sim…há muitas pizzarias no entorno da Plaza de Armas e nós decidimos nos aventurar em uma beeem local: a Chez Maggy Pizzerias! Decidimos mais pelo cheiro kkk! O cheiro estava tão bom que nos restou entrar e experimentar a pizza. Para os mais frescos, aqui não tem muita opção de bebidas, é refrigerante (coca-cola, inka-cola) ou água! Como eu não bebo refrigerante, me restou a água…sem gás! Porque aqui não tem água com gás e atenção: não espere encontrar gelo no copo, viu! Você terá que pedir e mesmo assim, não é todo lugar que tem gelo. Quanto ao ambiente, era bem simples, rústico mas aconchegante. O atendimento é informal. As mesas são compartilhadas e as pizzas são feitas na hora, bem na sua frente e assadas em forno a lenha. Os preços são interessantes, uma vez que pizza não é muito a cara de Cusco, mas as redondas são bem saborosas! Mas olha…vá com a mente aberta porque luxo você não encontra aqui! Sabor, sim!

E vocês? Já comeram em algum destes lugares em Cusco? Contem aqui nos comentários e deixe suas dúvidas, críticas ou sugestões. Aproveite e inscrevam-se no blog para ficar por dentro das dicas e das novidades e se você gostou deste post, deixe um like! Por hoje é só gente linda! Mas volto em breve com muito mais! Um beijo grande com sabor cusqueño e até a próxima…

 

Barrio Ceviche
Portal Harinas 181 | Plaza de ArmasCusco, Peru
+51 84 26633
Portal de Belen 115 Plaza de ArmasCusco 0801, Peru
+51 84 245158
Cicciolina
Calle Triunfo 393 | 2do PisoCusco, Peru
+51 84 239510
Yola Restaurant
Avenida Pardo 789Cusco, Peru
+51 84 223377
Chez Maggy Pizzerias
Calles 365Cusco 0054, Peru
+51 84 246316
Anúncios

Feira da providência 2017, eu fui!

IMG_2871

Hello gente linda! Tô sumida daqui, não é mesmo? Mas voltei!!! E voltei cheia de novidades para vocês e cheia de posts novos. Mas onde será que eu estava neste tempo todo? Bem…conto depois! Hoje vim contar para vocês que a Feira da providência já começou aqui no RJ, na verdade hoje foi o primeiro dia e vai até este domingo, dia 03/12. Quer saber mais? Vem comigo…

Eu visito a Feira da Providência desde que me conheço por gente e sempre gostei da ideia do evento. É sempre bom se divertir e ainda ajudar a quem precisa. Mas se tudo o que estou escrevendo aqui lhe soa “grego”, vou explicar: a feira da Providência, é um evento sociocultural com realização do Banco da Providência (organização social fundada por Dom Hélder Câmara que desenvolve projetos de desenvolvimento humano, capacitação profissional e geração de renda, com mais de 2 mil famílias em situação de pobreza extrema no RJ) e que acontece todo ano, geralmente no mês de novembro. Vale lembrar que a Feira é a principal fonte de renda do banco da Providência, com um total de 60% da renda, a outra parte vêm de parceiros, doações e convênios com o setor público. Este ano ela completa sua 57ª edição e todos os cartazes até hoje foram desenhados pelo Ziraldo. Um mais legal que o outro!

O evento acontece no Rio Centro e a entrada custa R$20,00 inteira e R$10,00 meia. Como hoje foi a inauguração da 57ª edição, o movimento estava bem devagar e alguns stands ainda estavam sendo organizados. Mas já adianto que no fim de semana sempre fica LOTADO! Então se você quer passear com o mínimo de conforto, sem se sentir estressado por causa da multidão, procure ir durante a semana.

Mas o que será que eu encontro por lá? Bem, você encontra diversos stands com artesanato local e de diferentes culturas e países, além de comidas, roupas, livros, área de diversão para as crianças, apresentação de danças e um mercado, o mercado da Providência. Nesta edição, assim como na passada, todos os stands ficam concentrados em um mesmo pavilhão, o que a torna mais fácil de ser percorrida, porém…Pela primeira vez, achei a feira bem carinha! Na verdade, ela nunca foi barata, mas sempre dava para encontrar algo interessante por um precinho camarada, mas dessa vez, está bem puxado! Além disso, os produtos são praticamente os mesmos na barracas dos países e me pareceu terem saído do Saara. Fiquei um pouco decepcionada com relação a esta questão. Mas se você, diferente de mim, achar tudo lindo e quiser comprar tudo, saiba que estará ajudando estas famílias já citadas no parágrafo acima e se estiver pesado carregar todas as suas compras, relaxe! Você pode alugar um carrinho de mercado por R$8,00 reais durante 1 hora para não precisar pegar nada pesado. Caso prefira levar seu carrinho de feira, ou mala, fique à vontade, viu!

Na minha humilde opinião, vale a visita se você nunca foi e caso tenha tempo, porque além do ingresso, você paga um estacionamento de R$20,00 reais (preço único) e você acha tudo ou quase tudo o que tem na feira em outros lugares, principalmente as bijuterias! Eu gostei muito de um stand com diversos quadros de caveiras mexicanas coloridas (eu não curto caveiras,mas estas estavam lindas) e objetos bem coloridos que fica bem próximo ao mercado, mas fora isto, vá para se deliciar com os doces e comidinhas que eles distribuem como degustação. Ah…e prove as balas de coco, essas sim são deliciosas!

E vocês? Já conheciam a Feira da Providência? Contem aqui nos comentários o que acharam desta edição. E se gostaram do post, deixem um like no blog. Não esqueçam também de se inscrever no blog para ler os posts em primeira mão! Um beijo grande e até a próxima gente linda!!!

 

Feira da Providência

De 29/NOV a 03/DEZ – 12h às 23h

Local:  Pavilhão 4 do Riocentro – Av. Salvador Allende, 6555 – Barra da Tijuca, RJ

Um passeio pelo CADEG

IMG_2590

Oi gente linda que me acompanha! Pensaram que eu iria deixá-los na mão hoje? Claro que não! O post tardou mas saiu! E hoje vim contar um pouquinho sobre um dos Mercados municipais mais interessantes aqui no Rio de Janeiro: o CADEG, vocês conhecem? Vamos juntos que contarei tudinho…

cadeg1Eu já conheço e frequento o CADEG faz tempo, mas percebi que muita gente nunca ouviu sequer falar sobre este local. Para os desinformados o CADEG é um mercado municipal situado em Benfica, zona Norte do Rio, o qual na época de Pereira Passos (então prefeito da cidade do RJ) era conhecido como Centro de Distribuição de produtos agrícolas e funcionava  junto à Praça Marechal Âncora, hoje conhecida como Praça XV de Novembro, próximo às barcas que fazem a travessia Rio-Niterói. Vale citar que sua inauguração aconteceu em 14 de novembro de 1907.

Com o passar do tempo e o crescimento da cidade do Rio, o local teve de ser demolido para a construção do elevado da “finada” Avenida Perimetral (esta foi demolida para a revitalização do área do Porto antes das Olimpíadas) e com isso decidiu-se construí-lo no terreno da antiga fábrica de cigarros Veado na Rua Capitão Félix, onde permanece desde 1962 (ano de sua inauguração) até os dias de hoje.

Mas do que se trata de fato este Mercado? Bem…O CADEG é um lugar onde você de tudo um pouco: desde artigos de limpeza, vestuário, hortifrutigranjeiros, restaurantes e lojas de doces, importadoras de bebidas (vinhos, cervejas, bebidas alcólicas em geral), plantas, salões de beleza entre outras opções. Mas eu particularmente adoro este lugar pelas seguintes opções: plantas e pelo bolinho de bacalhau!kkk

Quando eu digo plantas, é bom saber que aqui funciona a partir das 3h da madrugada um dos maiores mercados de flores do Rio, onde você muitas vezes negocia direto com a pessoa que plantou e colheu as plantas em exposição. É um galpão imenso com uma infinidade de plantas oferecidas à preços bem mais em conta que em todos os outros lugares (horto, mercado, lojas etc). Para quem trabalha com decoração floral é essencial a visita, mas se esta não é a sua profissão, vá para conhecer porque vale a pena, só não precisa chegar às 3h da madrugada como os profissionais da área fazem. Eu quando vou, compro muitas flores (inclusive as flores usadas na festinha do blog foram compradas ali) e chego cedo, por volta das 8h da manhã; já que o galpão das flores, especificamente, fecha cedo.

Mas o fato é que além de flores, você encontra muitas opções de plantas em vasos como árvores frutíferas, temperos, flores, suculentas, orquídeas…todas com um ótimo preço. Além de encontrar fora do galpão muitas lojas que vendem artigos para cuidar das plantas, além de terra caso necessite para o seu jardim. Lembrando que você pode ir de carro, pois há estacionamento no local e é bom que vá com um pano para forrar o carro, caso decida comprar plantas, porque senão seu carro vai ficar bem sujinho, viu!

Mas se bater aquela fome, fique tranquilo, porque aqui no CADEG o que não falta é lugar interessante para você comer. Quem quiser provar um saboroso bolinho de bacalhau indico o do Bacalhau & Cia ou o Barsa e se bater uma vontade louca por doces, dê um pulinho no Beijo & Beijo, onde você encontra tortas lindamente decoradas e bem saborosas. Mas se preferires comer algo com sustância, que tal uma costela bem servida?  A do Costelão é muito boa e vem muito bem servida. Enfim…o que não falta aqui é opção de local interessante para matar a sua fome; só não vale sair do CADEG sem provar a comida daqui!

Bem gente linda, por hoje é só! Mas volto em breve com mais novidades. Se você gostou deste post, deixe um like e não esqueça de se inscrever no blog para ler em primeira mão os post. Um beijo enorme e um ótimo fim de semana!

 

Beijo & Beijo  – LOJA DE FÁBRICA

Rua Capitão Félix, 110, Rua 9, Lojas 2 e 4.
Segunda a sábado, das 08h às 17h
Fechado aos domingos
📞 (21) 3890-0607

Costelão

Rua 04 Lojas 08/10  |   Telefone: 2589-0022
Funcionamento: Todos os dias de 12h às 17h. Confirme pelo telefone.

Barsa

Rua 04 Lojas 03 a 06  |   Telefone: 2585-3743
Funcionamento: Segunda a quinta de 12h às 16h. Sexta, sábado e domingo de 12h às 17h. Confirme pelo telefone.

Bacalhau & Cia

Rua 3 lojas 3 e 5  |   Telefone: 21 3878-2424
Funcionamento: Terça a sábado de 9h às 18h e domingo de 10h às 16h. Confirme pelo telefone.

CADEG

Rua Capitão Félix, 110 – Benfica – Rio de Janeiro
Telefones: 21 3890.0202 | 21 3526.5717
Funcionamento: Galpão(anexo) do Mercado das Flores: Segunda a sábado de 03h às 12h. Domingo: fechado.

Moda francesa: Comptoir des Cotonniers

comptoir4

Hello gente linda! Vamos falar de Moda hoje? Bem, para quem não conhece muito bem a Moda francesa, existem inúmeras marcas interessantes e bem conhecidas com um estilo bem definido dentro desse universo. Eu particularmente gosto muito da moda francesa, pois a acho naturalmente elegante. Mas hoje, vim falar um pouquinho sobre uma marca específica e de grande nome não só na França como na Europa e na Ásia.

Vocês conhecem a “Comptoir des Cotonniers“? Pois se não coheciam, conhecerão agora! A Comptoirs des Cotonniers é uma marca francesa, fundada nos anos 90 pelo casal Tony Elicha (o mentor de fato) e Georgette Elicha. Apesar de apenas possuírem 2 lojas em 1995, uma na Rue Bonaparte, em paris e outra na Rue des Arts, em Toulouse, o casal sempre teve vontade de crescer e desenvolver uma moda mais familiar, até que Georgette teve a grande sacada, ao observar uma mãe e filha olhando a vitrine, de lançar a proposta da marca como uma Moda que conversasse tanto com a mãe quanto com a filha, ou seja, fazer roupas que tivessem a identidade destas 2 gerações.

A ideia deu tão certo que a partir daí pode-se dizer que a identidade da Comptoir des Cotonniers nasceu e permanece a mesma até hoje. Mas para que esse direcionamento de criação desse certo, fizeram um grande investimento em marketing para que a proposta ficasse o mais verdadeira possível; foi então que eles decidiram usar mães e filhas da vida real em sua campanhas. O sucesso foi tão grande que a Comptoir des Cotonniers teve um crescimento vertiginoso que não se limitou ao território francês, mas cresceu também internacionalmente. Em 2001 ela lançou a primeira loja fora da França, mais precisamente em Barcelona, na Espanha. A partir daí vieram outros países: Belgica, Alemanha, Inglaterra, Japão e Coréia do Sul. Mas em 2006, a Comptoir foi comprada pelo grupo Fast Retailing, que também são proprietários da marca japonesa Uniqlo (farei post sobre ela mais tarde). Apesar de ter sido comprada, a marca permanece fiel ao seu estilo.

O estilo da Comptoir é direcionado ao público feminino, mais precisamente para as mulheres de 20 à 40 anos e sua Moda é elegante, naturalmente simples, mas chic e sóbria, ou seja, não é uma moda com uma pegada mais adolescente e sim tradicional, onde a mesma peça de roupa servisse nestas mulheres desta faixa etária, sem causar ruído. Exatamente por esta questão, suas peças são de qualidade muito superior à outras marcas, tanto no quesito durabilidade quanto na utilização, pois são peças atemporais. Por isso, ela é uma marca que se situa entre a alta-costura e a moda do dia a dia (prêt-a-porter).

Mas será que os preços são amigos? Sinto informar-lhes mas não são! Na verdade toda esta qualidade e este investimento em peças atemporais elevaram bastante o custo das mesmas. Mas se você não tem condições de pagar o preço cheio, vale lembrar que pelo menos na França, as liquidações tem data marcada e sempre acontecem no início do ano e outra no meio do ano. E é exatamente nesta época de liquidação que você pode se lançar em busca da tão sonhada roupa despretensiosamente chic e sóbria da Comptoirs des Cotonniers. Exatamente como eu fiz! kkk

Hoje a marca já possui mais de 250 unidades mundo afora e sua e-commerce cresce a cada dia, ampliando a gama de produtos da loja, que conta atualmente com uma linha de lingeries feita com matéria-prima natural, a linha de acessórios com bolsas e sapatos e uma linha de crianças, além da previsão de lançar uma linha voltado ao público masculino.

E vocês? Já conheciam esta marca francesa? Contem aqui nos comentários o que acharam ou se gostam de alguma marca específica francesa. Não esqueçam de inscreverem-se no blog para ficar por dentro das novidades e se gostaram deste post, deixem um like! Por hoje é só, mas eu volto com muito mais em breve! Um beijo cheio de elegância e até o próximo post…

Gel esfoliante facial Segredos de Camarim

 

Oi gente linda do meu Brasil varonil! Olha quem está de volta nesse feriado! Hoje vim contar para vocês de um produtinho que tem feito milagres no meu rosto, ou melhor, na pele do rosto. Querem saber mais? Vambora…

Eu comprei este produto na Sephora, porque queria usar um esfoliante facial  para dar aquele “up” na pele e conseguir aquela revigorada. Como eu achei a embalagem muito fofa (eu sou completamente influenciada por embalagens kkk), resolvi arriscar nesse gel esfoliante e confesso, nem olhei muito os ativos do produto, fui pela embalagem mesmo!

O produto possui em sua composição arroz e extrato de aveia, que fazem uma esfoliação suave promovendo assim a renovação celular, além de prevenir o ressecamento e proteger a pele das agressões externas. Toda essa esfoliação traz uma sensação de alívio e conforto conseguindo com isso aquela pele macia e hidratada com aparência de bumbum de neném de tão linda!

Mas além de tudo isso, ainda conta com água floral de calêndula que protege a pele. Gente…é tudo de bom! Eu adorei a textura, e o esfoliante é realmente bem suave, não é aquele tipo de esfoliante que parece uma areia grossa; os grãos são beeeeem fininhos e dá uma sensação muito gostosa esfoliar a pele com o gel esfoliante porque parece um carinho na pele. Quanto ao cheiro, é uma delícia! Um cheiro bom, leve e que perfuma sem irritar às pessoas mais sensíveis como eu. E o potinho dura, porque basta uma pequena quantidade do produto no rosto para conseguir o efeito desejado.

Mas e o preço? Pode parecer brincadeira, mas o preço é muito amigo, mesmo que o potinho possa parecer pequeno, ele dura muito! Então é um produto bom, bonito e barato! Ou seja, vale muito a pena experimentar. Eu sei que cada um tem uma pele diferente, mas esfoliante pode ser usado em todas as peles e pelo menos na minha, deu muito certo! Minha pele ficou muito hidratada e com um cheirinho super gostoso além do toque sedoso. Enfim, eu adorei!

E vocês? Já conheciam este produto ou usam outro tipo de esfoliante facial? Contem aqui nos comentários, afinal é sempre bom compartilhar informação. Aproveitem e inscrevam-se no blog para ficar por dentro das novidades e se gostaram deste post

 

Restaurante Só na Brasa: Nham!

so na brasa3

Oi gente linda que me segue! E a vida, vai bem? Pois se não vai bem, depois deste post vai melhorar, afinal de contas, uma boa comida sempre melhora tudo kkk! Então gente linda, Se você é do Méier, no Rio de Janeiro, provavelmente conhece ou já passou em frente ao restaurante Só na Brasa, mas se você não faz ideia do que eu estou falando, vem comigo que no caminho te explico!

Sabe aqueles restaurantes que parecem uma extensão da sua casa porque o ambiente é bem familiar? Pois bem, o Restaurante Só na Brasa é exatamente assim; um restaurante especializado em galetos mas que atende aos mais variados paladares uma vez que aqui você encontra carnes, massas, petiscos e sobremesas, tudo com porções bem servidas e uma comida saborosa com gosto de “feita em casa”. Além disso, os garçons são muito simpáticos e solícitos e sempre fazem todo o possível para servir a melhor comida do dia.

Eu já fui ao Só na Brasa inúmeras vezes e sempre que vou, procuro me sentar próximo à “varanda” (que na verdade é um espaço mais reservado e envidraçado com uma vista legal da rua) e sou muito bem atendida. O ambiente como falei é familiar e a decoração conta com diversas fotos antigas do bairro da Zona Norte do Rio, o que eu acho bem bacana e tem também toques de madeira, tijolinhos e ladrilho hidráulico. Não é um local luxuoso, na verdade é um local informal mas arrumadinho rs. O estacionamento fica na rua ao lado, mas é pago à parte, então não tem perigo de deixar o carro na rua e ser multado.

Apesar de ter um forno bem grande o local não cheira a “grelhados e afins”, o que para mim é muito bom, afinal ninguém merece ir a um restaurante onde o cheiro dos assados fica impregnado na sua roupa e no seu cabelo. E outro ponto positivo que é muito importante para mim: não é barulhento! Eu não sei para vocês, mas para mim, o restaurante pode ser maravilhoso, mas se for barulhento…eu corto na hora da minha lista. Percebem como sou exigente? Kkk

Mas e a comida? Bem, a comida, como falei acima tem gosto de comida caseira: saborosa, bem temperada e com sal na medida. O bom é que os pratos chegam super rápidos à mesa, então você não fica com a sensação de “preciso comer mas a comida não chega”, e as porções são bem servidas, viu! Eu costumo pedir o famoso “frango à gaúcha” (frango assado na brasa, com farofa de ovos, arroz, vinagrete e batatas fritas) e apesar de só comer o peito de frango, ele vem suculento e quentinho. Delícia! Mas se você quiser algo mais leve, experimente a salada ceasar que além de saborosa, vem servida em uma trouxinha de parmesão: um charme!

E depois de toda essa comilança, se ainda tiver um espacinho, arrisque-se nas sobremesas. Eu já provei o brownie e o pétit gateau e vêm bem servido com calda e uma bola de sorvete de sua preferência.  Só deixo claro que não é o melhor brownie da minha vida, mas “fecha” a refeição e dá aquela sensação de “estou satisfeita”. Enfim…eu sei que tudo é questão de gosto e que este é relativo, mas na minha humilde opinião, vale uma visita!!!

E vocês? Já conheciam o Restaurante Só na Brasa? Contem aqui nos comentários o que acham deste restaurante e contem qual é seu prato preferido, vou adorar saber! Bem, espero que tenham gostado deste post e se gostaram, deixem uma curtida e não esqueçam de se inscrever no blog para ficar por dentro das novidades. Um beijo enorme e um ótimo fim de semana! Até breve…

 

Restaurante Só na Brasa

R. Dias da Cruz, 443 – Meier, Rio de Janeiro – RJ, 20720-010

Tel: (21) 3442-3110
(21) 3271-9369

Idéal Soleil Hydra Soft da Vichy

Oi gente linda! Eu sei que ainda estamos na primavera, mas o ano está passando tão rápido que acredito que amanhã já comece o verão! Brincadeiras à parte, independente da estáção do ano existem produtos que não podemos viver sem, um deles é o protetor solar. Até porque protetor solar é de uso diário e não apenas no verão. Então antes que você arrume uma desculpa para não usá-lo, me acompanhe que te conto sobre meu último caso de amor em forma de pote…

Eu sou daquelas pessoas que faça chuva ou sol, estou sempre de protetor solar E óculos escuros. Muita gente acha que não há necessidade mas para estas pessoas que pensam desta forma, sugiro rever seus conceitos, quanto às que usam: parabéns! Eu como boa amante de protetor estou sempre usando produtos diferentes e buscando resultados mais eficazes na minha pele; até porque eu tenho psoríase e com isso minha pele é mais sensível e fica mais exposta aos danos solares.

Em uma das minhas últimas visitas à Drogaria Venâncio, comprei um protetor solar da Vichy – uma marca super renomada e que já conheço faz tempo, pois uso muito seus produtos. O protetor solar em questão é o Idéal Soleil Hydra Soft FPS 50 de alta proteção para o corpo.

O produto conta com uma  avançada tecnologia de filtros (MEXORYL XL+ SX) garantindo assim a máxima proteção contra os raios UVA + UVB e de acordo com a embalagem possui ação hidratante intensiva de até 8 horas, o que é bem interessante já que a pele fica realmente bem “judiada” depois da exposição ao sol. Outro ponto positivo é a textura: bem leve e de rápida absorção, o que evita aquele efeito “besuntado” que eu não curto e ainda mantém o aspecto da pele/corpo longe do efeito “fantasminha” de pele branca por causa dos resíduos do produto. Ou seja, sem a sensação melecada e com a pele hidratada sem resíduo ou manchas brancas! Preciso dizer que só por isso já gostei?!?

Mas como se não bastasse, o produto vai além! Ele também possui ativos hidratantes (glicerina e vitamina E) garantindo uma pele macia e aveludada e é também enriquecido com água termal mineralizante de Vichy. Água termal? Sim, isso mesmo. Depois disso esse protetor ganhou lugar cativo no meu seleto coraçãozinho.
E se você está na dúvida se ele pode ser usado em peles oleosas, já adianto: serve para todos os tipos de pele!

Eu notei que minha pele respondeu muito bem à hidratação referida no produto é que de fato protegeu bastante a pele, pois mesmo depois de entrar na água, caminhar, suar e de ter me exposto ao sol, minha pele não ficou ardendo e nem vermelha. Certamente, eu reapliquei o produto antes de me expor ao sol por mais de 2 horas e também após ter entrado na água, o que deve ser feito por todos. Mas notei que o Idéal Soleil durou mais tempo no corpo que outros protetores. E quanto ao cheiro, eu aprovei: suave, sem ser enjoativo e não causa dor de cabeça ou ataca a alergia kkk! Portanto gente linda, já estou super protegida antes mesmo do verão chegar.

E vocês, já conheciam este produto? Contem aqui nos comentários ou deixem dicas e sugestões para o blog. Espero que tenham gostado do post e se gostaram, deixem uma curtida. Lembrando também que quem está inscrito no blog lê os posts primeiro. Por hoje é só gente linda, mas voltarei com novidades. Um beijo cheio de proteção e um ótimo feriado!