Comendo MUITO bem em Cusco

Olha quem está de volta para contar sobre a gastronomia peruana, ou melhor: cusqueña! Pois é exatamente isso que vim fazer aqui hoje, contar um pouquinho sobre os lugares mais bacanas onde comemos em nossa visita à Cusco. É claro que esse post reflete a minha humilde opinião, mas achei que estes lugares mereciam ser mencionados aqui. Quanto à vocês, fiquem à vontade em experimentar o restaurante que melhor se adapte à sua preferência; só posso garantir uma coisa: come-se MUITO BEM em Cusco! Venha conferir…

O primeiro restaurante que visitamos assim que chagamos em Cusco, foi o já conhecido e muito comentado “Cicciolina“, que fica na Calle Triunfo, uma ruazinha bem estreita e pitoresca de Cusco e relativamente próxima à Plaza de Armas. O Cicciolina pode ser difícil de ser encontrado, já que fica no 2º andar de uma construção amuralhada com um pátio externo onde tem outras lojas e restaurantes, mas achando um muro branco e azul, é só entrar! Nós chegamos no Cicciolina sem reservas e na hora do almoço e até que foi fácil conseguir uma mesa. O restaurante tem um ambiente bacana, com paredes vermelhas, teto alto com troncos de madeira aparente e uma iluminação levemente quente (luz amarela). Há também um bar de tapas que fica logo na entrada e é bem interessante com uma decoração rústica-chic. Nós preferimos uma mesa no salão, que não era muito boa, ficava um pouco escondida; então se a ocasião for especial, peça uma mesa próxima à janela, porque a vista é melhor e a luz também.

Quanto ao serviço, achei razoável; podia ser mais simpático e rápido. Já a comida, me pareceu cara em comparação aos outros restaurantes de Lima (eu já escrevi um post sobre os restaurantes em Lima). Quando digo cara, entendam que a média de pratos era de $50,00 soles peruanos, o que sai um pouco mais caro que em real. Mas e a comida? Bem…é gostosa, mas sinceramente, não achei nada extraordinário, apenas gostosa. Pensei que fosse melhor já que o Cicciolina é muito recomendado em todos os blogs de viagem. Além disso, o que pesou mesmo foi a porção pequena, ou seja, é caro para a quantidade de comida. Eu pedi um filé mignon com papas e molho e estava saboroso, já o maridex também foi de carne, mas fiquei com pena dele porque a quantidade do prato para quem está com fome não é suficiente kkk. Como estávamos com fome depois do prato principal e dos cubiertos (tipo um couvert com pães variados, manteiga e azeite), decidimos pedir a sobremesa e estava saborosa também, mas nada que se compare ao creme brulée de bananas do restaurante Saqra, em Lima! Para mim, foi um almoço nota 7,5! Desculpem-me mas sou exigente! kkk

Se você estiver com o dimdim contadinho, não tem problema! Come-se bem em Cusco e até mais barato que no Brasil! Se estiver com fome mas totalmente sem grana, renda-se ao podrão cusqueño kkk! Ou seja, churrasquinho de rua super saboroso e com direito a batatinhas no espeto junto com a carne. Além de cheiroso, gostoso e farto (o espetinho é muito grande), custa apenas $5,00 soles peruanos. Eu provei porque o cheiro estava tão bom, que não resisti! Gostei muito, viu! Recomendo experimentar: fica em uma ruela (Calle Loreto esquina com a Calle Maruri) beeeeeem estreita na lateral da Igreja da Compañía de Jesús.

Ou, se você estiver na pindaíba mas ainda tiver condições de comer em um restaurante, vá onde os locais comem: restaurante Yola, na Avenida Pardo, paralela à Avenida Sol. Atenção: não é um restaurante turístico, então não espere luxo. A comida é bem saborosa, a porção é farta e para ser sincera, eu pedi 1/2 porção e fiquei bem satisfeita, pois dá para comer já que a 1/2 porção alimenta bem uma pessoa. Uma curiosidade interessante é que durante o meu almoço neste local, entrou um homem com um violão e começou a cantar a música do Roberto Carlos (que não sei o nome rsrsrs) “esse cara sou eu…”. Achei muito bizarro estar em Cusco e ainda ouvir Roberto Carlos em um restaurante local! Voltando ao restaurante, o preço é bem camarada: cerca de $15,00 soles por uma refeição. Eu fui de Lomo saltado e estava macio. Só não pedi sobremesa porque não achei nada que me agradasse ali. A comida é boa, mas vá sabendo que é um restaurante simples!

Caso queira provar um bom ceviche, eu super recomendo o Barrio Ceviche que fica bem na Plaza de Armas e tem uma vista bem bacana. O ambiente é muito agradável, o serviço muito simpático e solícito e faço um elogio ao cozinheiro Perez com quem conversamos no bar e nos explicou muito bem as diferenças das batatas e de algumas leguminosas de seu país. Uma simpatia só!

O pisco sour de lá é muito bom também e o bar é todo decorado com motivos marinhos, assim como o banheiro (que é uma fofura e cheio de conchas). O preço já é mais salgadinho, mas vale a pena! De “cubiertos” (couvert) eles servem chips de papas amarillas e milho assado; é diferente mas bem interessante. Quanto aos nossos pedidos, nós fomos de “causa de langostinos” de entrada e dividimos um ceviche clássico (que vem bem servido e dá para dividir se você não estiver com muita fome). Os dois estavam divinos! A entrada era bem diferente, mas muito saborosa e o ceviche muito refrescante e ao mesmo tempo picante na medida. Se estivesse com fome, comeria até mais, mas eu já tinha comido um espetinho muito saboroso…lembram? kkk

Se a fome for de fast food, por que não uma versão peruana? Pois saiba que tem sim e se chama Papacho’s! Esta é a “versão peruana” do Outback, já bem conhecido aqui no Brasil. O Papacho’s é bem famoso no Peru já que seu dono é ninguém menos que Gaston Acurió, um dos chefs peruanos mais conhecido mundialmente e talvez o que tenha apresentado a culinária peruana para o resto do globo com suas releituras cheias de vida e usando ingredientes locais. Mas voltando ao Papacho’s, aqui a ideia é comer hamburguer e não é qualquer hamburguer, é aquele hamburguer gourmet deliciosamente preparado e acompanhado de fritas servida com uma farta porção.

Claro que você também tem opções de pratos de comida, mas vá por mim…experimente os hamburguers! Nós fomos à noite e a casa fica no entorno da Plaza de Armas e tem uma vista bem bacana da janela. O público é mais de jovens já que tem happy hour, drinks diferentes e um ambiente meio pub. O serviço é bacana e a comida também, já os preços…mais salgadinho! Nós pedimos de entrada a “Tapitas papacheras” que me parecia uma bruscheta (eu amo bruschetas) com molho bem apimentado, sour cream, bacon, queijo e outras coisas que não consegui identificar mas que eram deliciosas! Já começamos bem e depois fomos de hamburguer. Eu pedi o “Miraflorina” que veio com queijo,bacon, tomate, alface, cebola crocante, picles e molho barbecue: delicioso! O maridex foi de “Papacha” com bacon, anéis de cebola, queijo roquefort, tomate e alface e segundo ele também muito saboroso! Todos eles vieram com fritas de acompanhamento e depois de toda esta comida nem sobrou espaço para a sobremesa! Mas eu voltaria todos os dias no Papacho’s feliz da vida! Na verdade eu gostei mais da entrada do que do hamburguer, uma vez que adoro bruschetas! Vale experimentar também os milk shakes de lá, pois são deliciosos. O que não pode é ficar de fora do Papacho’s! Vá e depois me diga o que achou!

Mas se a sua vibe for algo menos peruano e mais italiano, saiba que tudo pode acabar em pizza em Cusco! Sim…há muitas pizzarias no entorno da Plaza de Armas e nós decidimos nos aventurar em uma beeem local: a Chez Maggy Pizzerias! Decidimos mais pelo cheiro kkk! O cheiro estava tão bom que nos restou entrar e experimentar a pizza. Para os mais frescos, aqui não tem muita opção de bebidas, é refrigerante (coca-cola, inka-cola) ou água! Como eu não bebo refrigerante, me restou a água…sem gás! Porque aqui não tem água com gás e atenção: não espere encontrar gelo no copo, viu! Você terá que pedir e mesmo assim, não é todo lugar que tem gelo. Quanto ao ambiente, era bem simples, rústico mas aconchegante. O atendimento é informal. As mesas são compartilhadas e as pizzas são feitas na hora, bem na sua frente e assadas em forno a lenha. Os preços são interessantes, uma vez que pizza não é muito a cara de Cusco, mas as redondas são bem saborosas! Mas olha…vá com a mente aberta porque luxo você não encontra aqui! Sabor, sim!

E vocês? Já comeram em algum destes lugares em Cusco? Contem aqui nos comentários e deixe suas dúvidas, críticas ou sugestões. Aproveite e inscrevam-se no blog para ficar por dentro das dicas e das novidades e se você gostou deste post, deixe um like! Por hoje é só gente linda! Mas volto em breve com muito mais! Um beijo grande com sabor cusqueño e até a próxima…

 

Barrio Ceviche
Portal Harinas 181 | Plaza de ArmasCusco, Peru
+51 84 26633
Portal de Belen 115 Plaza de ArmasCusco 0801, Peru
+51 84 245158
Cicciolina
Calle Triunfo 393 | 2do PisoCusco, Peru
+51 84 239510
Yola Restaurant
Avenida Pardo 789Cusco, Peru
+51 84 223377
Chez Maggy Pizzerias
Calles 365Cusco 0054, Peru
+51 84 246316

Restaurante Só na Brasa: Nham!

so na brasa3

Oi gente linda que me segue! E a vida, vai bem? Pois se não vai bem, depois deste post vai melhorar, afinal de contas, uma boa comida sempre melhora tudo kkk! Então gente linda, Se você é do Méier, no Rio de Janeiro, provavelmente conhece ou já passou em frente ao restaurante Só na Brasa, mas se você não faz ideia do que eu estou falando, vem comigo que no caminho te explico!

Sabe aqueles restaurantes que parecem uma extensão da sua casa porque o ambiente é bem familiar? Pois bem, o Restaurante Só na Brasa é exatamente assim; um restaurante especializado em galetos mas que atende aos mais variados paladares uma vez que aqui você encontra carnes, massas, petiscos e sobremesas, tudo com porções bem servidas e uma comida saborosa com gosto de “feita em casa”. Além disso, os garçons são muito simpáticos e solícitos e sempre fazem todo o possível para servir a melhor comida do dia.

Eu já fui ao Só na Brasa inúmeras vezes e sempre que vou, procuro me sentar próximo à “varanda” (que na verdade é um espaço mais reservado e envidraçado com uma vista legal da rua) e sou muito bem atendida. O ambiente como falei é familiar e a decoração conta com diversas fotos antigas do bairro da Zona Norte do Rio, o que eu acho bem bacana e tem também toques de madeira, tijolinhos e ladrilho hidráulico. Não é um local luxuoso, na verdade é um local informal mas arrumadinho rs. O estacionamento fica na rua ao lado, mas é pago à parte, então não tem perigo de deixar o carro na rua e ser multado.

Apesar de ter um forno bem grande o local não cheira a “grelhados e afins”, o que para mim é muito bom, afinal ninguém merece ir a um restaurante onde o cheiro dos assados fica impregnado na sua roupa e no seu cabelo. E outro ponto positivo que é muito importante para mim: não é barulhento! Eu não sei para vocês, mas para mim, o restaurante pode ser maravilhoso, mas se for barulhento…eu corto na hora da minha lista. Percebem como sou exigente? Kkk

Mas e a comida? Bem, a comida, como falei acima tem gosto de comida caseira: saborosa, bem temperada e com sal na medida. O bom é que os pratos chegam super rápidos à mesa, então você não fica com a sensação de “preciso comer mas a comida não chega”, e as porções são bem servidas, viu! Eu costumo pedir o famoso “frango à gaúcha” (frango assado na brasa, com farofa de ovos, arroz, vinagrete e batatas fritas) e apesar de só comer o peito de frango, ele vem suculento e quentinho. Delícia! Mas se você quiser algo mais leve, experimente a salada ceasar que além de saborosa, vem servida em uma trouxinha de parmesão: um charme!

E depois de toda essa comilança, se ainda tiver um espacinho, arrisque-se nas sobremesas. Eu já provei o brownie e o pétit gateau e vêm bem servido com calda e uma bola de sorvete de sua preferência.  Só deixo claro que não é o melhor brownie da minha vida, mas “fecha” a refeição e dá aquela sensação de “estou satisfeita”. Enfim…eu sei que tudo é questão de gosto e que este é relativo, mas na minha humilde opinião, vale uma visita!!!

E vocês? Já conheciam o Restaurante Só na Brasa? Contem aqui nos comentários o que acham deste restaurante e contem qual é seu prato preferido, vou adorar saber! Bem, espero que tenham gostado deste post e se gostaram, deixem uma curtida e não esqueçam de se inscrever no blog para ficar por dentro das novidades. Um beijo enorme e um ótimo fim de semana! Até breve…

 

Restaurante Só na Brasa

R. Dias da Cruz, 443 – Meier, Rio de Janeiro – RJ, 20720-010

Tel: (21) 3442-3110
(21) 3271-9369

Trattoria do Assis: comendo bem e barato em Cabo Frio

Oi gente linda que acompanha aqui sempre…como vocês estão? Espero que estejam ótimos e cheios de gás, afinal de contas amanhã é feriado e acredito que muita gente já esteja na estrada a esta hora. E por falar nisso, se a ideia for passar o feriadão (o último deste ano) em Cabo Frio, este post é para você; mas se não for desta vez…calma! Guarde esta dica e experimente quando estiver por aquelas bandas. Vamos ao que interessa…

A dica de hoje não é sobre “O” melhor restaurante de Cabo Frio e sim sobre uma opção bem bacana para comer em um ambiente agradável e por um preço bem amigável uma vez que estejas na cidade: o restaurante Trattoria do Assis. Este restaurante já é conhecido em cabo Frio e não ficava no endereço atual, mas atualmente, além de mudar de ponto, ele mudou de ares, de sabor, deu uma boa repaginada e olha…deu muito certo! Eu já tinha experimentado sua comida no antigo local e não o recomendaria, porque era MUITO barulhento, mas nesta minha última visita à cidade, passei pela rua do canal do Itajurú e percebi um restaurante bem arrumadinho e com um ambiente agradável; tão agradável que resolvi entrar! Para a minha surpresa: era o Trattoria de Assis.

Eu sempre acreditei que mudar fosse bom, mas neste caso…foi uma mudança e tanto e para MUITO MELHOR! Para começar que o local é muito mais agradável que o antigo; hoje ele fica na Rua Marechal Floriano no Boulevard Canal que é um local com diversas opções de restaurantes e de onde saem os passeios de barco na cidade. Além disso, a decoração e a iluminação do local estão muito mais convidativas. Eu particularmente adoro restaurantes que se preocupam com a iluminação porque comer em local de luz fria para mim é um sofrimento, já que eu procuro ter uma experiência gastronômica toda vez que saio para comer e a luz fria não proporciona isso. A decoração é elegante com um bom uso da madeira para dar maior sensação de conforto aos clientes. Outro detalhe que fez diferença foi o paisagismo desde a entrada até o jardim no fundo do salão. Foi muito bem executada toda esta “mudança” de ares do novo local do Trattoria.

O Restaurante agora conta com 2 andares, sendo que o andar de cima funciona a parte de comida japonesa e no andar de baixo, fica o Hippocampus (que seria mais voltado para frutos do mar e funciona no horário de almoço) e a partir dàs 17 horas, o andar de baixo é dedicado à Trattoria do Assis que é mais indicado para pizzas e massas, mas que também serve outras opções de pratos. Eu fui sem vontade alguma de comer pizza e acabei sendo seduzida pelas mesmas kkk! Resolvi por pura gula e olho grande experimentar o rodízio de pizzas e massas que funciona à noite de segunda à quinta e custa apenas R$ 29,90 no dinheiro ou R$34,90 no cartão (sexta à domingo sai à R$32,90 em espécie e R$37,90 no cartão). O preço está bem camarada, não é mesmo? Mas e a comida? Será que acompanhou toda esta mudança?

A comida posso dizer que está bem saborosa. Claro que não é a melhor casa de massas que eu já fui na vida, mas se a ideia é comer uma comida gostosa e não gastar muito, esse definitivamente é um bom local para isso! As massas além de boas são bem recheadas, os molhos encorpados e as pizzas muito bem executadas com a massa fina e crocante e com a quantidade exata de queijo: hummm! Minha única ressalva é para a massa do escondidinho que não gostei muito, pois prefiro as massas que levam aipim. Mas se você gosta de massa à base de batatas, acredito que vá gostar. Como o rodízio incluía pizzas e massas, pude provar um pouco de tudo, inclusive das pizzas doces. A pizza de banana caramelada leva mel e se você como eu não curte, é só pedir sem mel que eles providenciam na hora para você, mas eu pessoalmente recomendo provar a de Romeu e julieta (queijo e goiabada) que estava uma delícia, assim como a de Beijinho (doce de coco); o maridex adorou a de lombo canadense com abacaxi. E se eu puder te dar uma dica: fuja do yakissoba! Há tantas opções gostosas que sinceramente, ele nem faz falta!

Eu adorei! Fiquei bem surpresa com a qualidade das massas e do serviço; fomos muito bem atendidos e tudo o que solicitamos aos garçons nos foi prontamente servido. Nem preciso dizer que saí de lá quase rolando e naquele momento me lembrei o real motivo de evitar rodízios: come-se demais! Se você quer evitar os rodízios mas mesmo assim gosta de massas, lá também tem pratos à la carte. Mas se a sua preferência for realmente comida japonesa, o segundo andar é todo seu e olha…os barcos com os combinados são lindos! Não posso opinar sobre o sabor, porque fui apenas no rodízio de massas e pizzas, mas acredito que vale experimentar e assim que eu o fizer, farei o post contando.

E vocês? Já conheciam o Trattoria do Assis? Já foram em rodízio de massas e pizzas? Contem aqui como foi e onde foi, eu adoro ficar por dentro das dicas que vocês deixam aqui. Aproveitem e inscrevam-se no blog para ler os posts em primeira mão e se gostaram deste post, deixem um like! Por hoje é só geente linda, mas eu volto em breve, viu! Um beijo enorme e um ótimo feriadão para todos vocês…

 

Fim de semana em Petrópolis

Nada me relaxa mais do que viajar! Claro que o destino é importante, mas de qualquer maneira, viajar sempre nos modifica. É difícil voltar incólume de uma viagem, seja ela de um dia ou de uma vida! Mas a minha em questão, é apenas um fim de semana kkk. Vem comigo minha gente…

Fui passear e relaxar um pouquinho em Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro com a família. A viagem já começou prometendo: encontrei o estilista brasileiro Carlos Tufvesson (momento tiete kkk) na Casa do Alemão, logo na entrada da cidade Imperial. Como já conheço bem a cidade, resolvi ficar em uma pousada um pouco afastada do Centro, a Pousada 14 BIS, uma pousada bem bucólica e simples com a temática de Santos Dumond e que fica próxima à Universidade Católica de Petrópolis.

A Pousada em si, não oferece muito luxo, como eu disse, é bem simples e o café da manhã honesto (falta mais variedade), lembrando também que o estacionamento é pago à parte. Mas para quem deseja relaxar e acordar ao som dos pássaros ela é perfeita!

Como o tempo era escasso, fomos direto para a Rua Teresa, uma rua bem conhecida em Petrópolis por ser a rua do comércio de roupas: gente tem muita loja de roupa! A dica aqui é ir cedo porque as lojas abrem às 9:00 da manhã e fecham por volta das 18:00h; mas a partir de novembro deste ano, elas abrirão também aos domingos em função das festas de fim de ano. Para quem deseja comprar roupa barata…atenção: a rua Teresa não é mais a mesma de anos atrás, ou seja, já não vale TANTO assim, pois as roupas mais em conta pecam na qualidade e as roupas de melhor qualidade tem os preços próximos aos do shopping.

Acho que vale para conhecer ou se sua ideia for comprar roupas PLUS SIZE. Há muitas lojas de roupas plus size e também há lojas de roupas masculinas e infantis. O único ponto chato aqui é que se você for de carro, os estacionamentos na rua Teresa são bem carinhos; mas se você chegou em Petrópolis de ônibus, na própria rodoviária há ônibus que levam até a rua Teresa: mais simples, impossível!

Saí da rua Teresa com algumas peças bem legais e por preços bacanas e como já estava anoitecendo, a pedida foi partir para o restaurante Bordeaux Vinhos, que fica localizado no Centro de Petrópolis, no mesmo local da famosa “Casa dos 7 erros”, bem próximo da Catedral São Pedro de Alcântara. O local é muito bacana, cercado de plantas e como foi construído em um antigo estábulo, algumas áreas do restaurante ainda guardam essa característica. O restaurante em si é arrumadinho e os preços são mais “puxados”. Aqui é bom para os amantes de vinho, pois a adega da casa é bacana. A comida não é a melhor de Petrópolis, mas é saborosa, só não se deixe levar muito pelas sobremesas, porque estas são…sem graça! Se quiser comer em um restaurante especial, prefira o Restaurante Imperatriz Leopoldina, que fica dentro do Hotel Solar do Império, com sua cozinha comandada pelo chef Dominique Jardy; esse sim maravilhoso, mas caro!

Após visitarmos a Catedral de são Pedro de Alcântara (parada obrigatória para todo turista) e nos encantarmos com a beleza desta construção, com direito a missa dominical e tudo, resolvemos visitar o Museu Imperial. Mas havia um Bistrô no meio do caminho kkk.

O Bistrô em questão é o Duetto’s Café localizado dentro do Museu Imperial de Petrópolis e é uma graça. Ele fica bem cheio nos fins de semana, pois além de ter um ambiente muito agradável, as comidas são deliciosas. Eu indicaria a torta Marquesa que é uma torta de chocolate deliciosa. Mas se a pedida for por algo salgado, prove a quesadilha com cebolas caramelizadas ou as quiches com salada: incríveis! Quanto ao museu, a entrada custa R$ 10,00 reais e você além de usar pantufas lindas rs não pode tirar foto! Uma pena, porque o Museu é incrível e dá vontade de tirar foto de tudo, mas…é proibido!

Saímos do Museu encantados com tudo o que vimos e como a fome se fez presente, decidimos experimentar o Restaurante “O Transmontano”, um restaurante português que fica dentro do Bragança Palace Hotel, bem próximo do Museu Imperial e da Catedral de São Pedro de Alcântara.

Apesar do atendimento simpático e do bolinho de bacalhau gostoso, eu não gostei muito da comida do local. Como é um restaurante Português, a especialidade da casa é o bacalhau, então se você gosta, é uma boa pedida. Eu fui de atum grelhado e achei nada agradável! Fuja deste atum! Os doces são portugueses, então aqui você vai encontrar pastel de nata (que eu não gostei, pois a massa não é crocante e o creme é sem graça) e o toucinho do céu (parece uma queijadinha, mas que não leva coco), este último saboroso. Posso afirmar com categoria que você come melhor no Duetto’s Café e Bistrô.

 

Se quiser aproveitar o domingo, vale visitar o Palácio Quitandinha, hoje chamado de Sesc Quitandinha, construído em 1944 pelo mineiro Joaquim Rolla e por Antonio Faustino, com o desejo de se tornar o maior cassino hotel da América do Sul. Em 2007 ele foi adquiridos pelo SESC Rio e passou a sediar atrações culturais no local. O Quitandinha é de graça aos domingos e é um passeio bem legal para fazer com as crianças. No momento há uma exposição sobre o cantor e compositor baiano Tom Zé na Cúpula, mais conhecida como salão do eco. A exposição “Tom Zé 80 anos” reúne músicas, fotos, textos e depoimentos em uma multiplicidade de meios e linguagens para celebrar a vida desse ícone da Música Popular Brasileira e está bem interessante; dura até o dia 29/10. Vale conferir.

Bem gente linda, este foi o meu fim de semana em família na cidade Imperial, e vocês? Já estiveram em petrópolis? Conte aqui nos comentários o que você adora fazer em petrópolis, ou deixe dicas de lugares bacanas para visitar, adoro ficar por dentro das novidades. Não esqueçam de se inscrever no blog para ler em primeira mão tudo o que rola por aqui. Espero que tenham gostado deste post e se gostaram, deixem um like/curtida! Um beijo enorme cheio de pompa para todos vocês e até o próximo post…

 

Restaurante Bordeaux Vinhos
Av. Ipiranga, 716 – Centro – Petrópolis, RJ
(24) 2242-5711
Restaurante Imperatriz Leopoldina – Hotel Solar do Império
Av. Koeler, 376 – Centro – PetrópolisRJ
(24) 2103-3000 |(24) 2242-0034
Duetto’s Café – Museu Imperial
Rua da Imperatriz, 220 – Centro – Petrópolis, RJ
(24) 2243-2952
Restaurante O Transmontano
Rua Raul de Leone, 109 – Centro – Petrópolis, RJ
(24) 2244-9655
Sesc Quitandinha

Av. Joaquim Rolla, n º 2 – Petrópolis, RJ
(24) 2245-2020

 

Coral Reef Restaurant no Epcot: Amei!

IMG_6282

Que eu gosto de comer já não é segredo para mais ninguém, mas acontece que nem sempre em viagens eu consigo comer bem! Às vezes o dimdim é pouco, outras não consigo encontrar algo que me agrade ou a viagem é corrida e o tempo é curto até para fazer uma refeição com direito a mesa e ambiente juntos, mas hoje vou contar para vocês a minha experiência em um lugar completamente surpreendente e que aconteceu por acaso, mas que já entrou na lista de lugares memoráveis da minha viagem: o Restaurante do Nemo, o Coral Reef, no Epcot. Vem comigo que contarei tudinho…

O Coral Reef é um restaurante dentro do Epcot, especializado em peixes e frutos do mar. Ele fica ao lado da atração The Seas with Nemo and Friends (uma das mais procuradas e fofas do Epcot). Bem no cantinho direito, antes da entrada do brinquedo que você encontra a placa com o nome do Restaurante. Para quem anda sem prestar atenção é fácil perdê-lo de vista, mas para os atentos, como eu…é um lugar imperdível! Eu encontrei o restaurante meio que por acaso, porque ainda não estava com fome, mas logo que entrei no hall de entrada e vi que tratava-se de um restaurante temático, animei-me e decidimos ficar por lá mesmo. Não demorou nem 10 minutos e conseguimos uma mesa bem do lado do aquário que tem no salão: adorei!

O restaurante não é muito grande então acredito que lote facilmente e o legal dali é realmente sentar-se ao lado do aquário, porque você come e ainda observa e admira os peixes e outras criaturas marinhas; mas para quem se senta nas mesas distante do aquário não consegue observar de pertinho toda a vida marinha. Como nos sentamos bem ao lado, pude admirar toda a beleza do local usando o índice de peixes e criaturas marinhas que é oferecido pelo próprio restaurante para os clientes encontrarem dentro do aquário. Este índice fica em cima da mesa e ajuda bastante a  encontrar as espécias dali. Já no quesito comida, nós optamos pela opção de menu do dia que incluía uma entrada, prata principal e uma sobremesa por um valor fixo. Achei que valia mais a pena do que a opção à la carte. Mas na opção do menu do dia, temos apenas 3 opções de cada fase da refeição, então se dentro destas opções nenhuma se adequar ao seu gosto, melhor pedir à la carte mesmo.

No menu do dia eu fui de “salada da casa da estação” (mix de folhas verdes, frutas silvestres frescas, queijo feta e crocante de sementes de girassol com vinagrete de framboesa) que estava uma delícia e vinha lindamente decorado; já o maridex foi de “Tomates tradicionais” (vinagre Sherry, azeite de oliva da Toscana, muçarela fresca e redução de balsâmico com fatias de tomates de diferentes cores) que de acordo com o maridex estavam deliciosos e como não sou boba nem nada, provei e aprovei: estavam deliciosos mesmo para alguém como eu, que não curte tomates rs!

Já como prato principal eu fui de “Macarrão com queijo, bacon e caranguejo” (macarrão conchinha com queijo, croutons de bacon e caranguejo desfiado com aspargos e pimentão de piquillo) que vieram quentinhos com um cheirinho de matar e estavam uma delícia, mas atenção: super apimentados! O maridex foi de “Camarão e grits” (camarão salteado, canjica de milho com queijo cheddar, succotash de milho local, linguiça Andouille e emulsão com especiarias à creole). Este prato estava tão lindo que dava até pena de comê-lo, mas a fome era grande e ele foi degustado com todo o carinho do mundo rs. E deixando bem claro que além de lindo ele era uma delícia e bem apimentado já que levava especiarias à creole, mas era MUITO mais gostoso que o meu macarrão!

Como boa formiga que sou, jamais deixo de degustar a sobremesa em uma refeição! Aqui eu e o marido escolhemos a mesma opção “A onda de chocolate” (bolinho de chocolate quente com recheio de chocolate e servido com sorvete de framboesa). A sobremesa veio decorada com todo o capricho do mundo Disney e detalhe que a minha ainda veio com uma plaquinha fofa me parabenizando pois eu estava com um bottom de “Happy Birthday” preso em minha blusa e a Disney, sempre atenta aos detalhes, não deixou isto passar em branco! Fiquei toda feliz da vida!

IMG_6307

A refeição foi maravilhosa e o ambiente nem se fala, mas acredito que as crianças possam ter mais dificuldade na hora de escolher sua refeição, pois além de não ter muitas opções infantis, achei as opções bem sem graça! Então antes de entrar no restaurante, veja se algo agrada aos seus pequenos, porque não há nada mais desagradável do que chegar em um restaurante, sentar-se e na hora de escolher…nada te apetece!

O valor cobrado foi justo e posso dizer que minha experiência foi sensacional, afinal, não é todo dia que comemos com a companhia de arraias, tubarões, tartarugas marinhas e peixes mil. Eu recomendo muito pela experiência, mas se você não curte frutos do mar ou se suas crianças não gostam de comidas mais elaboradas, prefira outro local para a sua refeição, pois apesar do preço do menu do dia custar um pouco mais de U$40,00 dólares por pessoa sem as bebidas, certamente há outros restaurantes mais baratos dentro do Epcot, porém nenhum deles tem esta vista linda!

Bem gente linda…esta foi minha experiêcia No Coral Reef. E vocês? Já comeram neste restaurante? Contem aqui nos comentários como foi ou deixem um like/curtida caso tenham gostado do post. Aproveitem também para se inscrever no blog e ficar por dentro de todas as dicas e divagações desta pessoa que vos escreve. Quero muito poder contar com o feedback de vocês! Um beijo enorme e uma ótima semana cheia de novas experiências para todos! Até o próximo post…

Bar do Cícero e Ilha da Gigóia

IMG_9095

Oi gente linda…Olha eu aqui outra vez para falar sobre uma das coisas mais gostosas da vida: comida kkk! Na verdade, hoje vou contar um pouco da minha experiência no Bar do Cícero, um simpático restaurante bem informal na Ilha Primeira, uma ilha em frente à Ilha da Gigóia, na Barra da Tijuca. Me segue…

O passeio começou cedo, antes das 11h30 min (melhor horário para chegar lá) de um lindo domingo de sol aqui no RJ. Como se trata de uma ilha, você chega até ela de barco e vale lembrar que não tem carro por lá, então o transporte é mesmo o barco para ir de uma ilha à outra. Então a dica é fazer o seguinte: vá até a Barra da Tijuca de carro e estacione seu veículo no estacionamento do Shopping Barra Point. Bem ao lado deste shopping, há um posto de combustível (Shell) e ao lado deste posto tem um corredor por onde as pessoas pegam os barcos para chegar até os locais nas ilhas. Pronto…feito isso é só falar para o barqueiro para onde você quer ir, que no nosso caso foi o Bar do Cícero, que ele te leva até lá.

O barco é bem simples e a travessia até lá custa R$5,00, mas você nem sente porque a paisagem é linda, apesar da lagoa estar poluída; e o passeio dura menos de 10 minutos. Uma pena, eu estava gostando muito rs! Caso você queira fazer um passeio de barco pelas ilhas do local é só combinar um valor com o barqueiro, mas nós decidimos apenas pelo restaurante mesmo.

O Bar do Cícero, é na verdade um restaurante beeeeem informal construído numa palafita nas margens da lagoa. A vista a sua volta é bem bacana e comer de frente para uma lagoa observando o vai e vem dos barcos para mim é muito agradável. Fica especialmente bonito em dias de sol, que foi justamente o que fizemos!  Mas voltando à atmosfera do Bar do Cícero, não espere luxo e ostentação, a “vibe” aqui é relaxar e curtir a vida e posso dizer que isso você vai gostar. Mas e quanto ao restaurante, o que falar dele?

Bem…Sendo bem sincera, o melhor de lá é a “vibe” porque apesar de ser um local bem informal, os preços são bem salgados e o serviço não é proporcional ao preço nem tampouco a comida o é!Eu sou uma pessoa bem exigente com relação à apresentação, decoração, sabor e todo o resto e apesar de ir com a cara do lugar (sabia que era um ambiente simples/rústico) achei sinceramente meio desleixado. Pra começar, o cardápio além de ser muito extenso (eram várias folhas impressas em um álbum), estava todo manchado e isso já não agradou, afinal…não é fácil entender os preços de alguns itens em um papel manchado. Mas tentei deixar para lá, afinal…estava ali para relaxar e curtir o ambiente.

O serviço é meio apático, ninguém sorri para você, ninguém faz você se sentir especial (pode ser frescura minha, mas eu gosto disso) e por aí vai. Então sem rodear, pedimos de entrada uma porção de pastéis de camarão (R$33,90 com 6 unidades) que depois de uns 20 minutos chegaram quentinhos e estavam bem gostosos. Como prato principal fomos de bobó de camarão com arroz branco e farofa de dendê; o gosto estava ok; não era ruim, mas certamente já comi bobós muito melhores em outros lugares e o que me incomodou mesmo foi preço:  R$139,90 para 2 pessoas, mas este devia ser um dos pratos mais baratos. As moquecas para 2 pessoas estavam caríssimas e para 4 pessoas era mais de R$400,00. Na minha terra esse preço é muito caro para este tipo de restaurante que é completamente simples e nem tem A melhor comida para cobrar isso. Mas enfim…relevei pois como disse estava ali para relaxar.

Relaxar para uma pessoa tensa e exigente é quase uma quimera! Então resolvi esquecer estes detalhes saboreando um brownie com sorvete de creme e calda (R$28,00). E foi aí que percebi o quão exigente sou: fiquei muito incomodada com os talheres que o garçom nos trouxe. As colheres estavam muito tortas e cada uma era de um tipo: uma de cabo de plástico branco e a outra de cabo de madeira. Para você querido leitor, isso pode ser completamente irrelevante, mas para mim, talheres para uma mesa devem ser do mesmo tipo ainda mais depois de pagar caro pela refeição! Claro que pedi para trocar, mas ele me deu talheres diferentes só que menos tortos kkk. Então desisti de me importar com o talher e resolvi esperar o Brownie, que veio cheio de calda em um prato raso! Reflitam comigo: Por quê servir uma sobremesa cheia de calda em um prato raso? Não faz sentido. Mas tudo bem, lembrei que eu devia relaxar, acontece que além do prato ser raso o brownie veio todo largado no prato rs! É definitivamente, o serviço aqui não é primoroso!

IMG_9127

Mas se o preço é alto, o serviço não é muito bom e a comida é ok, será que ainda há motivos para sair da minha casa e visitar o Bar do Cícero? Sim…vá pela companhia, pela atmosfera, pelo passeio de barco que é bem agradável e pelo pastel que este sim…valeu super a pena! kkk

Aproveite que você já está por ali e atravesse de barco até a Ilha da Gigóia para ver como é a vida por lá. Afinal de contas, trata-se de uma ilha no meio da Barra da Tijuca/Itanhangá onde moram pouco mais de 3 mil pessoas, não entra carro, apenas bicicletas e onde tudo é muito “maluco beleza”. Sabe aquele local onde você acha que entrou em outra dimensão? Pois é o caso da Ilha da Gigóia. Um lugar super pitoresco, com paisagens lindas, pessoas simpáticas e simples, que decidiram por conta própria levar um outro estilo de vida. É muito legal! Então, mesmo que o bobó não tenha sido o melhor da minha vida, os talheres estivessem incorretos e o preço superfaturado para o serviço apresentado…Vá, mas vá com a mente aberta e sem esperar muito do bar do Cícero. Vá pelo pastel e pelo passeio à ilha da Gigóia.

E vocês, já visitaram algum restaurante bem pitoresco aqui no Rio? Conta aqui nos comentários, quero ficar por dentro destes lugares quase secretos. Não esqueçam de se inscrever no blog para ler os posts em primeira mão e ficar por dentro de tudo o que acontece por aqui! Um beijo cheio de positividade para todos e até a próxima…

Inauguração do Abbraccio Restaurante

IMG_9172

Hoje vou contar para vocês como foi a inauguração ao público em geral do Restaurante Abbraccio Cucina Italiana que inaugurou dia 25 de julho, terça-feira, no shopping Rio Design Barra, aqui no Rio de Janeiro. Vocês conhecem a história do Abbraccio? Me sigam que contarei tudinho…

Bem gente linda do meu Brasil, o Restaurante Abbraccio Cucina Italiana na verdade pertence ao grupo Bloomin’ Brands (Outback também faz parte deste grupo) que tem sede em Tampa, Flórida e é um dos maiores grupos de restaurantes “casuais” do mundo com mais de 1.400 unidades em 20 países, uau!  Inspirado na rede americana Carraba’s (também do Grupo Bloomin’ Brands) o Abbraccio decidiu iniciar sua expansão internacional e o Brasil foi o primeiro país escolhido para receber o conceito fora dos Estados Unidos. Mas essa expansão começou em São Paulo em 2015 e tem como objetivo totalizar 50 unidades em cinco anos aqui no Brasil.

O nome “Abbraccio”  (abraço em italiano) é resultado de dez meses de pesquisas realizadas em território brasileiro onde foram investidos cerca de  R$1 milhão em estudos de design, menu, ambiente e nome da marca. Tudo para agradar em cheio o público brasileiro e internacional. A rede veio com a ideia de transformar o comum em extraordinário e tem como característica a cozinha aberta permitindo aos seus clientes acompanharem toda a preparação dos pratos (o que eu particularmente adoro e é bem comum na Itália), unindo a intensidade do aroma e dos sabores da culinária italiana com uma experiência gastronômica completamente diferenciada.

A unidade do Rio Design Barra mantém o mesmo padrão decorativo das outras unidades de São Paulo: uma atmosfera típica italiana, com luz aconchegante e um bar bem bonito. Outro ponto bem bacana é que logo na entrada tem uma charmosa vespa estacionada, o que deixa tudo mais italiano. Mas apesar de ser italiano, não tem aquela cara super-utltra-mega clichê dos restaurantes italianos com toalhas de mesa xadrez e verde, vermelho e branco em tudo quanto é canto; as cores da Azzura estão presentes mas de forma bem elegante e pontual.

Uma coisa que eu achei bem bacana é que todos os clientes são recebidos pelos “amici”,  como os atendentes são chamados,  e após serem acomodados em sua respectiva mesa, eles servem como cortesia de boas-vindas um pão italiano para saborear com um mix de ervas e azeite. Parece ser uma bobagem, mas realmente demonstra o cuidado que eles tem com seus clientes e com o bom serviço prestado. Além disso, o pão tem uma casquinha bem crocante e o interior bem macio e vem quentinho: hummm! E o que falar do azeite com o mix de ervas? Confesso que não estava esperando muito, mas tive uma grata surpresa: uma delícia! Amei!

O restaurante traz receitas consagradas na culinária italiana, que unem tradição e modernidade através de releituras de clássicos com um toque contemporâneo, mas sem ser modernozo demais. É o tipo de releitura que agrada a todos os paladares porque tem gosto de comida “veramente” italiana. Como chegamos próximo do horário de almoço e justamente no horário da inauguração, ganhamos de cortesia uma prova do arancine (bolinho de risoto frito recheado com linguiça italiana e acompanhado de um delicioso molho) e uma mozzarella marinara; estava uma delícia! E isso nos ajudou a decidir nosso prato; eu fui de insalata caesar (alface romana, croutons de ciabatta com ervas finas, queijo parmesão, ao molho caesar) e lasagna bianca (lasagna recheada com creme de espinafre, brócolis e delicioso mix de queijos especiais: fontina, grana padano, ricota cremosa e mozzarella) que neste horário (menu de almoço) custava R$49,00 reais; já o maridex foi de insalata di casa (alface romana, cenoura, tomate cereja, azeitonas kalamatas e molho da casa) com Gnocchi al ragú de Maiale (Nhoque com paleta suína preparada lentamente ao forno, servido no molho do próprio cozimento, coberto com queijo parmesão e salsa) que custou R$53,00 no menu de almoço com a salada.

Gente…neste momento queria descrever com todas as palavras deste mundo a suculência desta lasagna e como ela é maravilhosamente deliciosa, mas falar não tem o mesmo efeito que o sabor da mesma, então se puderem…provem-na! Vem bastante queijo e o molho é muito saboroso. Eu que adoro brócolis e morro de amores pela ricota cremosa…me senti no paraíso! Mas se você não curte brócolis, prove outra refeição, como por exemplo, o Gnocchi do maridex, que apesar de levar carne suína e eu não curtir carne de porco, achei bem saboroso e muito bem servido de carne, por sinal! Os dois pratos finamente preparados e temperados e com um sabor único! Preciso dizer que amei e já quero voltar mil vezes? kkk

Mas como se não bastasse a refeição ter sido maravilhosa, decidimos pedir a sobremesa (apesar  de estarmos quase explodindo rs) porque somos duas formigas e sinceramente, a foto do cardápio de sobremesas me fez querer fortemente a Crostata di banana e crema di nocciole (massa folhada assada e recheada com uma deliciosa combinação de bananas e creme de avelãs, servida com sorvete de creme e calda de chocolate). Gente…Esta sobremesa além de linda é muito gostosa! O visual já te conquista mas o sabor é ainda melhor! A massa folhada fresca com a banana (que estava meio verde, mas casou perfeitamente aqui), e o creme de avelãs merecem todo o meu respeito e admiração e como se não pudesse ficar melhor, ainda tinha uma bola de sorvete. Maravilhosa! E para me deixar mais fã ainda da casa, o gerente ainda nos ofereceu a Crostata de cortesia: obrigada! Sinceramente…foi O almoço! Recomendo de olhos fechados: uma delícia!

Abbraccio9

Não é um restaurante baratinho, mas pelo serviço atencioso, pela atmosfera aconchegante e pelo sabor inigualável da comida, na minha humilde opinião, valeu cada centavo pago com toda a felicidade deste mundo! Mas se estiverem na dúvida, é só entrar aqui e pesquisar os valores do cardápio.

E vocês meus caros leitores,já conheciam este restaurante? Contem aqui nos comentários e aproveitem para dar um like/curtida caso tenham gostado deste post. Ahhhhh…não se esqueçam de se inscrever no blog para ficar por dentro de todas as minhas divahgações “gastronômicas”. Um baccio para todos vocês e um grande Abbraccio…Até a próxima!